quinta-feira, 8 de julho de 2021

Covid tira a vida da professora piancoense Marivalda Evangelista; A morte da professora gerou comoção nas redes sociais

A
professora de História, Marivalda Evangelista Leite e Silva, de 52 anos, estava há pouco mais de um mês em tratamento, desde que foi diagnosticada com o novocoronavírus. Correntes de orações fortaleceram a luta da professora que resistiu até os últimos instantes de vida, mas foi vencida, na tarde desta quinta-feira (08), por volta das 16:00h,  pelo vírus chinês (SarsCov2) e morreu em um hospital da cidade de Campina Grande,  por insuficiência respiratória causada pela Covid-19. 

A morte da professora Marivalda deixa a população piancoense em pânico e o setor sanitário pede que a população atenda as recomendações e evitem, dentro do possível, qualquer contato físico/social ou, ao sair de casa, use a máscara. A cidade de Piancó já vacinou mais de 8 mil pessoas (as duas doses) com o imunizante contra o novocoronavirus. A secretaria de saúde está em plena campanha contra a Influenza, vacinando toda população.

A escola onde a professora Marivalda trabalhava, lamentou a morte prematura da educadora e colocou uma faixa de luto.

A morte da professora gerou comoção nas redes sociais. Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram a morte de Marivalda.

A poucos dias a cidade de Piancó perdeu professoras jovens, a exemplo da vereadora Erilene Alves de Azevedo Lacerda, 40 anos,  e Fátima Caldas Barbosa, de 52 anos.

Marivalda Evangelista Leite era casada com o empresário Roberto Leite e deixa três filhos (a).

Marivalda foi candidata a vereadora pelo PCdoB nas eleições 2004 na cidade de Piancó, mas não obteve êxito.

Com relação ao sepultamento, a família ainda não informou o horário e, pelas recomendações sanitárias, não haverá velório. O corpo da professora Marivalda será seputlado no Cemitério São Miguel em Piancó.

oblogdepianco.com.br