terça-feira, 19 de janeiro de 2021

Tovar cobra inclusão de deficientes como prioridade da vacinação

(Deputado estadual Tovar Correia Lima
-Foto: Divulgação)
O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) destacou nesta terça-feira (19) a chegada e distribuição das primeiras doses da vacina CoronaVac na Paraíba e voltou a cobrar a inclusão de pessoas com deficiência e doenças raras na lista de prioridades da vacinação contra o novo coronavírus. Para o parlamentar, que apresentou requerimento na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) com o pedido, é importante que as autoridades garantam a vacinação para essas pessoas que possuem, em geral, quadros crônicos e multissistêmicos, o que as colocam em um grupo de risco, junto com os idosos, com maior vulnerabilidade física e psicossocial.

“É muito bom ver que as vacinas começam a chegar ao nosso estado e, por isso, volto a defender a inclusão das pessoas com deficiência e as acometidas por doenças raras na lista de prioridades, assim como também defendemos a prioridade na imunização de profissionais de saúde por estarem mais expostos à doença, além dos idosos e pessoas com doenças crônicas”, destacou Tovar.

Tovar lembrou ainda que a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência já obriga o poder público a reconhecer as pessoas com deficiência como vulneráveis e a adotar medidas para protegê-las em caso de situações de risco, emergência ou calamidade pública. O cenário crítico causado pela pandemia do novo coronavírus motivou a Federação Brasileira das Associações de Doenças Raras (Febrararas) a elaborar uma carta direcionada ao Governo Federal descrevendo a apreensão vivida por esses 13 milhões de portadores de doenças raras.

Em um trecho da carta da Febrararas, eles pedem ainda “que sejam assegurados, em caráter de prioridade, a todos os pacientes raros, o acesso aos serviços de saúdem públicos ou privados, tanto para o diagnóstico precoce quanto para o tratamento da Covid-19”. A preocupação se estende aos cuidadores familiares, “que, em decorrência desta epidemia, podem ter sua rotina ainda mais alterada, ausentando-se de seus trabalhos”.

Portal Correio