quinta-feira, 30 de abril de 2020

Em Itaporanga (PB), Novo pré-candidato a Prefeitura acredita em reviravolta política


Há mais de 12 anos trabalhando no Sul do país, onde conquistou êxito profissional e o sonho de melhores condições de vida, mas sempre voltado às causas e coisas de sua terra, o empresário Paulo Robson Pinto retornará breve e definitivamente a Itaporanga para cumprir uma missão política: enfrentar uma campanha eleitora pela Prefeitura. 

Recentemente filiado ao Cidadania, partido do governador João Azevedo, Paulo nunca disputou um cargo eletivo, mas vem de uma família de tradição politica e diz que o seu pensamento é apresentar-se como opção para o eleitorado de Itaporanga. 

No entanto, pretende conquistar a confiança de sua terra através de novos ideais sobre a política e um novo entendimento sobre a gestão pública. “Tenho visto muita coisa dando certo lá fora, e acho que é possível trazer os bons exemplos para cá”, comenta ele, que tem formação em gestão de empresas e hoje atua na construção civil e na representação de produtos têxtis nos três estados da região Sul, especialmente no Paraná. 

O pré-candidato já visitou várias lideranças comunitárias, políticas e empresarias da cidade para mostrar seu projeto eletivo e diz que ficou satisfeito com a receptividade. Brevemente, pretende também abrir um diálogo direto com o povo e conhecer mais profundamente os grandes e graves anseios da população urbana e rural de Itaporanga. Conforme Paulo, o momento não é propício para o aprofundamento das discussões políticas em face das dificuldades que a cidade e o país vivem em função da pandemia, mas tem a confiança de que a sociedade vai superar tudo isso e a eleição de outubro será realizada, o que é necessário para a democracia e a renovação do poder municipal. Avaliando as pré-candidaturas a prefeito já postas, Paulo diz que está aberto ao diálogo com todas as forças políticas de município e citou o ex-prefeito José Silvino, uma das referências morais e administrativas de Itaporanga, como um dos grandes defensores de seu projeto. Também com vínculos parentais com o médico Djaci Brasileiro, que hoje apoia outra candidatura, Paulo Robson diz que ainda há muito tempo para a eleição e está crente de que, no curso dos entendimentos e articulações que está realizando, uma reviravolta pode acontecer em favor do seu projeto eletivo, ou seja, ele espera adesões a sua candidatura.

*reprodução mediante autorização da Fonte