sábado, 21 de dezembro de 2019

Alcolumbre elogia Flávio Bolsonaro e diz que Senado não irá investigá-lo

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse nesta sexta-feira, durante café da manhã com jornalistas que cobrem o Congresso, que o Conselho de Ética da Casa não deve investigar o senador Flávio Bolsonaro (Aliança-RJ), investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro sob a suspeita de liderar um esquema criminoso no tempo em que era deputado estadual – a suspeita é que parte dos salários dos servidores de seu gabinete era recolhido e submetido a um processo de lavagem de dinheiro.

Na quarta-feira 18, o MP-RJ, com autorização da Justiça, realizou operação de busca e apreensão em 24 endereços ligados a Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio e suspeito de ser o operador do esquema, à ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle – investigada por participar do esquema – e ao próprio Flávio – uma loja de chocolates que ele tem na Barra foi arrombada pelos agentes.

Para Alcolumbre, como as acusações se referem ao tempo em que Flávio não era senador, não cabe à Casa investigar. “São coisas que ocorreram quando ele era deputado estadual e o próprio Conselho [de Ética] tem como regra que denúncias sobre episódios fora do mandato podem ser de pronto arquivadas. Isso é uma questão jurídica, não tem nada a ver com o Senado”, disse.

Alcolumbre também afirmou que gosta do trabalho de Flávio como senador e que o filho primogênito do presidente é uma pessoa “bem intencionada” e “muito boa”. “Ele tenta fazer um meio de campo em relação ao Senado e ao próprio governo, se empenha pessoalmente, tenta solucionar impasses. Diante disso, eu não posso entrar na vida pessoal dele, todo mundo tem que ter capacidade para responder a uma acusação”, afirmou.

Veja