segunda-feira, 6 de setembro de 2021

OMS parabeniza resultados positivos do programa de vacinação do Brasil

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, parabenizou o Ministério da Saúde pelos bons resultados do programa de vacinação contra a Covid-19 no Brasil. Adhanom e o ministro Marcelo Queiroga reuniram-se na manhã do domingo (5), em Roma, após a abertura da reunião com os ministros da Saúde do G20.

Durante o encontro, o diretor da OMS também felicitou o Brasil pela perspectiva de transição de país importador de vacinas a país exportador de imunizantes em três plataformas tecnológicas. A de vírus inativado, a de vetor viral recombinante e a de RNA mensageiro (mRNA). No país, duas instituições públicas já fabricam vacinas a partir de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) estrangeiro e, graças a um acordo de transferência de tecnologia, em breve a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vinculada ao Ministério da Saúde, passará a produzir doses com o IFA próprio e 100% nacional.

Recentemente, a empresa farmacêutica brasileira Eurofarma e a americana Pfizer firmaram um acordo para que o imunizante de mRNA possa ser produzido em solo brasileiro, trazendo investimento para o país e inserindo o Brasil como o foco dos negócios da empresa na América do Sul.

"O complexo econômico-industrial de saúde do Brasil tem capacidade produtiva, competência técnica, ambiente regulatório seguro e ampla experiência para servir como hub regional na produção de insumos para a América Latina e Caribe", pontuou Queiroga.

O ministro Marcelo Queiroga também ressaltou a adaptação e uso dos parques industriais veterinários para a fabricação de imunobiológicos para humanos, o que pode ampliar a capacidade nacional, atrair investimentos e ajudar os países que estão em dificuldade quanto à aquisição de doses a imunizar suas populações.

Pandemia
Tedros Adhanom apresentou ao ministro o panorama de discussões a respeito de eventual instrumento internacional sobre pandemias e pediu o apoio brasileiro ao projeto. Queiroga reconheceu a importância da iniciativa e do fortalecimento dos sistemas de saúde nacionais como medida para melhor prevenção, prontidão e resposta para qualquer emergência sanitária.

"Gostaríamos de sugerir a criação de um Grupo de Trabalho no âmbito da OMS para auxiliar os Estados na preparação dos sistemas nacionais de saúde ao cenário pós-Covid. A OMS poderia contribuir por meio de sugestão protocolos de tratamento e diagnóstico para pacientes e por meio do compartilhamento de experiências de centros de referência de reabilitação", sugeriu o ministro.

oblogdepianco.com.br com MS