quinta-feira, 27 de maio de 2021

SUS ampliará triagem de doenças diagnosticadas no “Teste do Pezinho”; Os serviços de saúde irão estender o rastreamento para até 50 doenças

Nos primeiros dias de vida, todo bebê deve fazer o teste do pezinho. É um exame simples, mas importante para diagnosticar logo cedo eventuais doenças e garantir o desenvolvimento saudável da criança. Para ampliar o rol dessa triagem já no início da vida, o presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou na quarta-feira (26) a lei que pode incluir até 50 doenças no teste do pezinho.

Até então, o procedimento detectava apenas seis doenças nos exames realizados pelo SUS. Com a nova lei, serão incluídas até 50 enfermidades e condições hereditárias que, caso não identificadas nos primeiros dias de vida, podem prejudicar o desenvolvimento das crianças. Entre as doenças que passarão a ser detectadas estão diversas doenças raras.

A assinatura aconteceu em cerimônia no Palácio do Planalto com presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. "O teste do pezinho traz novos benefícios para os recém-nascidos. Vamos ampliar de seis para 50 exames. É um aumento muito expressivo, que trará benefícios incontestes para a nossa infância”, afirmou.

O ministro ressaltou que mais de 80% das crianças nascidas no Brasil, fazem o teste. O SUS realizou, em média, 2,4 milhões de testes em recém-nascidos nos últimos anos. “São mais de 28 mil postos espalhados pelo Brasil, entre maternidades e Unidades Básicas de Saúde (UBS)", reforçou Queiroga.

O ministro lembrou que, neste mês, o Ministério da Saúde editou uma portaria destinando cerca de R$ 1 bilhão para a Atenção Primária em Saúde (APS). Os recursos foram destinados aos municípios para que os gestores locais façam o atendimento a crianças com problemas nutricionais, idosos, gestantes e comunidades tradicionais.

"Isso mostra o compromisso do governo com a Atenção Primária nesse país, para atender crianças com problema de nutrição, populações mais carentes, e para reforçar o atendimento nas unidades de saúde em todo o País onde realizamos o chamado Teste do Pezinho", pontuou.

A cerimônia contou ainda com a presença da primeira-dama da República, Michelle Bolsonaro, o ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, a ministra-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Flávia Arruda, o ministro-chefe da Secretaria-geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres.

TESTE DO PEZINHO
Todo recém-nascido deve fazer o exame, preferencialmente, entre as 48 horas e o 5º dia de vida. Durante os atendimentos de pré-natal e puerpério imediato, os profissionais de saúde devem informar à gestante e aos acompanhantes a importância do teste do pezinho. Os testes no SUS são realizados no âmbito do Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN), do Ministério da Saúde, que completa 20 anos em 2021.

*Saúde e Vigilância Sanitária

oblogdepianco.com.br