sábado, 29 de maio de 2021

Aneel informou que será cobrada bandeira vermelha 2, que tem custo de R$ 6,243 para cada 100 kWh consumidos

Vista da Represa de Mairiporã (SP)
JOÃO NOGUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO-17/05/2021
Do R7

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) informou nesta sexta-feira (28) que em junho começará a vigor a bandeira tarifária vermelha, patamar 2. Isso significa que a conte de luz ficará mais cara, com custo de R$ 6,243 para cada 100 kWh consumidos.

Segundo a agência, o motivo para a medida são os baixos níveis dos reservatórios por causa da falta de chuva. Neste ano, será a primeira vez que a bandeira vermelha 2 será acionada. Em maio, vigorou a bandeira vermelha 1, que aplica cobrança adicional de R$ 4,16 para cada 100 kWh consumidos.

"Maio foi o primeiro mês da estação seca nas principais bacias hidrográficas do SIN (Sistema Interligado Nacional), registrando condições hidrológicas desfavoráveis. Junho inicia-se com os principais reservatórios em níveis mais baixos para essa época do ano, o que aponta para um horizonte com reduzida geração hidrelétrica e aumento da produção termelétricas", afirma em nota.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada. As cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

Com o acionamento da bandeira vermelha em seu maior patamar é importante aos consumidores ações relacionadas ao uso consciente e ao combate ao desperdício de energia, orienta a agência.

Com a conta de luz mais cara, saiba economizar energia
O mês de maio marcou o aumento no valor da conta de luz. Isso porque entrou em vigor a bandeira tarifária de cor amarela. Com isso, as tarifas de energia terão um custo adicional de R$ 1 a cada 100 quilowatts-hora consumido. Pensando nisso, o especialista Sérgio Levin, engenheiro eletricista do Ibape/SP, orienta o melhor uso de eletrodomésticos como geladeira, chuveiro, máquina de lavar, televisão e ar-condicionado, buscando reduzir o gasto na conta de luz em até 70%.