sábado, 3 de abril de 2021

CDL de Piancó reforça Nota Pública da FCDL Paraíba, sobre o não diálogo entre o governador e as entidades

A
nota pública da FCDL Paraíba é resultado de uma reunião que aconteceu no último dia 31/03 e assinado por todas as CDL's do Estado, tendo em vista que não existe diálogo entre o Gestor Estadual e a entidade que representa a classe que está entre as que mais dá emprego e ao mesmo tempo sendo o setor que sofre mais com as restrições.

O isolamento social é essencial para a prevenção ao combate do COVID-19, porém entendemos que o foco está equivocado, não é o pequeno varejista que causa aglomerações.

Confira a Nota Oficial

O movimento lojista paraibano, liderado pela FEDERAÇÃO DAS CÂMARAS DE DIRIGENTES LOJISTAS DO ESTADO DA PARAÍBA e integrado pelas CÂMARAS DE DIRIGENTES LOJISTAS, já não mais suporta medidas restritivas que desembocam no fechamento da atividade empresarial de seus associados. ESTAMOS NO LIMITE!!!!

Não aceitamos o discurso de que pensamos apenas em nosso bolso, esse discurso é demagogo e genérico.

LUTAMOS PELA VIDA!!!! Ela é e continuará sendo o nosso maior bem. Contudo vivemos em uma cadeia produtiva, onde o comércio fechado repercute diretamente em desemprego e na diminuição do consumo e no enfraquecimento da economia.

Não há DICOTOMIA entre ECONOMIA e SAÚDE!!!! Elas caminham juntas e têm de caminhar juntas, de modo que o que defendemos é o direito de funcionar mediante o cumprimento dos protocolos

de biossegurança, respeitando as vidas e defendendo o sagrado direito da nossa subsistência e de nossos colaboradores, pois não se sabe quando esta pandemia irá acabar, não sendo razoável cogitar que a

qualquer momento poderemos fechar novamente. Precisamos de ajuda, de apoio e de uma política econômica que deem condições das empresas sobreviverem como um organismo vivo que de fato é.

É um contrassenso fechar o comércio paraibano, inclusive com proibição de vendas por delivery, quando empresas de outros estados estão vendendo aqui na Paraíba através do E-commerce, com perda direta na

arrecadação e afetando os postos de trabalho aqui estabelecidos. Outro absurdo é proibir um comerciante pequeno e médio (que representa 90% dos empresários paraibanos) de abrir, mas possibilitar que as

grandes redes de supermercados (multivarejo) e de drugstores comercializem os mesmos produtos que aqueles estão proibidos de vender. Ora, a PROIBIÇÃO NÃO PODE SER SELETIVA!!!! Ou todos estão proibidos de vender ou todos estão autorizados a vender.

As aglomerações não ocorrem no interior dos estabelecimentos comerciais, os quais são controlados por rígido protocolo de segurança sanitária e que, até antes das últimas eleições municipais, foram suficientes para manter o contágio do COVID-19 controlado.


oblogdepianco.com.br com Assessoria