sexta-feira, 12 de março de 2021

Corregedoria-Geral do Ministério Público realiza correição nas Promotorias de Piancó e Itaporanga

A
Corregedoria-Geral do Ministério Público da Paraíba, dando continuidade ao calendário 2021, está realizando, esta semana, correições nas Promotorias de Justiça de Piancó e Itaporanga, no sertão do Estado, através dos meios virtuais.

Participaram das reuniões iniciais da correição o corregedor-geral, Alvaro Gadelha; a subcorregedora-geral, Kátia Rejane Lucena; promotores corregedores Anne Emanuelle Malheiros Costa y Plá Trevas, Clístenes Bezerra de Holanda e Rodrigo Pires de Sá.

Na última terça (10/03), foi realizada a reunião inicial com os promotores José Leonardo Clementino e Edmilson de Campos Leite, que atuam em Itaporanga. Já na quarta-feira, com os promotores que atuam em Piancó, Artemise Leal e José Leonardo Clementino.

Na abertura, o corregedor-geral destacou o propósito de tornar o órgão mais democrático e próximo do promotor de Justiça. "Queremos uma corregedoria aberta, cumpridora dos seus deveres, que respeite o promotor, que é quem traz os louros para a instituição”, afirmou o corregedor Alvaro Gadelha.

A subcorregedora sublinhou que cada dia na instituição é de renovação e aprendizado. “Estamos aqui pra dividir experiências, ouvir o que precisa ser feito e implementado para termos um Ministério Público cada vez mais atuante, próximo da sociedade e resolutivo”.

O promotor Rodrigo Pires explicou como será a divisão de trabalho na correição e como é formulado o conceito para. O promotor Clístenes Holanda falou das modificações implementadas pela nova gestão da Corregedoria e do trabalho de encontrar boas práticas nas correições para difundir pela instituição. Já a promotora Anne Emanuelle apontou a tarefa de, nos relatórios, espelhar a realidade do trabalho dos promotores.

O promotor José Leonardo Clementino afirmou estar à disposição da Corregedoria para aprender e fazer os ajustes necessários e falou também sobre o volume de trabalho na Promotoria de Piancó.

A promotora Artemise Leal ressaltou que gosta das correições porque educa a forma de trabalhar e também se colocou à disposição para o que for necessário para aprender e aprimorar o trabalho.

oblogdepianco.com.br