domingo, 17 de janeiro de 2021

Portugal registra mais 10.663 infectados e 159 mortos, um novo recorde

(prensalatina)
U
m boletim da Direção Geral de Saúde (DGS) informa que Portugal somou mais 10.663 casos de infecção pelo novo coronavírus e 159 mortes causadas pela doença. com a Covid-19, um novo máximo diário, indica o boletim da Direção Geral de Saúde (DGS) desta sexta-feira.

Se for comparado aos dados de quinta-feira, dia em que o país atingiu o maior número de novos casos, registra-se um aumento de 2,06% de infecções e de 1,90% no que diz respeito aos óbitos.

No total, com esta atualização, o país acumula 528.469 infecções e 8.543 mortes desde o início da pandemia.

O boletim desta sexta-feira indica que nas últimas 24 horas 6.458 recuperaram da doença. Há, nesta altura, 125.861 casos ativos de Covid-19, mais 4.046 do que na véspera.

As autoridades estão preocupadas com o número de internamentos que continua a subir. Em apenas 24 horas, foram internadas 192 pessoas, elevando para 4. 560 o número de pacientes hospitalizados. Destes, 622 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), mais 11 do que no dia anterior.

Depois de um período em que o Norte registrava o maior número de casos e de mortes, é agora Lisboa e Vale do Tejo (LVT) a região mais afetada pela pandemia. Nas últimas 24 horas, LVT reportou 4.280 contágios e 65 mortes. Segue-se o Norte, com 3.295 novos casos e 35 óbitos associados à Covid-19.

O Centro notificou 2.041 novas infecções pelo SARS-CoV-2 e 34 mortes; o Alentejo 577 casos e 15 óbitos e o Algarve 328 infecções e 10 mortes.

Nas regiões autônomas não há registro de mortes devido à Covid-19 nas últimas 24 horas, sendo que os Açores reportaram mais 49 infectados e a Madeira mais 93.

Portugal entrou nesta sexta-feira, às 00h, num novo confinamento geral devido ao agravamento da pandemia de Covid-19, com os portugueses sujeitos ao dever de recolhimento domiciliário, mas mantendo as escolas com o ensino presencial.

Na reunião no Infarmed, que juntou na terça-feira pesquisadores e políticos, o epidemiologista Manuel do Carmo Gomes alertou, com base em projeções, para o agravamento da situação epidemiológica, afirmando que dificilmente se evitará os 154 óbitos por dia de Covid-19 dentro de duas semanas, número já atingido e superado, e 14 mil casos diários.

paraiba.com.br
oblogdepianco.com.br