sábado, 3 de outubro de 2020

Em Pedras de fogo (PB), Justiça suspende pesquisa por manipulação para colocar candidato da situação em situação privilegiada

Uma pesquisa com indícios de fraude foi suspensa na cidade de Pedras de Fogo. A juíza Hygina Josita (foto), suspendeu a divulgação da pesquisa tendo como base o detalhe da ação com pedido de impugnação da coligação representada pelo candidato Dr. Júnior, que aparece com o nome trocado: Manuel Júnior.

A consulta foi contratada pela Globo Mídia LTDA, portal desconhecido, ao Instituto Roque Tenório/Resenha, igualmente desconhecido. A empresa não tem registro no Conselho Regional de Estatística, também não possui no órgão competente.

A pesquisa eleitoral, de acordo com a denúncia, tinha o objetivo de colocar o candidato oficial Lucas Romão na frente do principal adversário neste momento importante da campanha à sucessão do município.

Como se sabe, em Pedras de Fogo a Justiça Eleitoral vem tendo muito trabalho com o grupo do prefeito Dedé Romão, que lançou o sobrinho Lucas como candidato à sucessão. Ele vem sendo acusado por compra de apoio político no período da micro-campanha.

Lucas está com atividades suspensas por decisão judicial por descumprir acordo com a Justiça Eleitoral, provocando aglomerações neste período de pandemia que provoca o coronavírus.

ExpressoPB