quinta-feira, 1 de outubro de 2020

Cidadãos consumidores e agricultores pede que AESA abra comportas da Barragem Saco para abastecer o Rio Piancó

(Rio Piancó em Piancó/Imagem: Antonio Cabral)
S
egundo dados da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), a Barragem Saco, no município de Nova Olinda (Vale do Piancó), recebeu um grande volume de água no ano de 2020 e no mês de março, início de 2020, já estava com 50.871.887m³, cerca de 52,12% de água em seu reservatório. A capacidade hídrica da barragem é de 97.488.088 milhões m³. 
Construída em 1983, a Barragem Saco, tem capacidade de armazenar 96 milhões de metros cúbicos d’água. 

O Rio Piancó está seco e isso vem prejudicando os moradores das cidades por onde passa as águas do rio, especialmente a cidade de Piancó, onde a água se tornou escassa, apesar de os mananciais estarem cheios. Consumidores de água, tanto da zona urbana quanto rural,  querem a utilização desta água e pede que a AESA discuta com a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Ministério Público Estadual e representantes dos agricultores e de associações de moradores, sobre a liberação da água com a abertura das comportas da Barragem Saco. A  Câmara Municipal de Piancó já oficializou junto aos órgãos competentes, documento pedindo providências sobre esse assunto. Diante da pandemia do novo coronavírus, os cidadãos não tem como fazer mobilização nas ruas pedindo providências da AESA e CAGEPA para encontrar uma solução. Usam apenas programas de rádios e mídias sociais para pedir socorro!

"A Aesa tem importante papel como interlocutora entre os usuários e entidades envolvidas, no fornecimento de dados e informações técnicas que são essenciais para melhor tomada de decisão".
Barragem Saco/Imagem de Internet

A abertura das comportas deve seguir  procedimentos,  necessário para que os níveis permaneçam dentro do limite e em conformidade com as normas técnicas.

Caso a AESA tome essa providência, se faz necessário que a CAGEPA, Defesa Civil de cada cidade, e Corpo de Bombeiros, alertem a população sobre vazão, que serão de muitos  litros de água por segundo. A população deve ficar atenta às mudanças repentinas no volume da água no leito do Rio Piancó e evitar circular sobre às margens, o que inclui a prática de pesca e banho no local.

oblogdepianco.com.br