domingo, 2 de agosto de 2020

AGORA É LEI: Parturientes poderão ser internadas na rede privada caso não haja leito público

A edição do Diário Oficial do Estado (DOE) de sábado (1º/08), traz a publicação da lei que garante a internação de parturientes na rede privada de maternidades de baixo risco, caso a rede pública de saúde não possua leitos disponíveis. A medida não irá gerar nenhum custo à paciente.

A lei sancionada pelo governador João Azevêdo e de acordo com o texto, a internação deve ser feita por solicitação de médico credenciado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A matéria afirma que a Secretaria de Estado da Saúde (SES) atualizará o mapa de leitos públicos e privados nas maternidades de baixo risco e as informações serão disponibilizadas às administrações das maternidades públicas.

PBAgora