sexta-feira, 24 de abril de 2020

As filas continuam na CEF em Itaporanga e nos Correspondentes Bancários em Piancó

As filas continuam gigantes, nas agências da Caixa Econômica Federal e nos correspondentes bancários. O principal motivo é o auxílio emergencial de R$ 600, pago pelo Governo Federal para ajudar durante a crise gerada pelo novo coronavírus.

(Fila em Piancó/Crédito: Antonio Cabral)
As filas continuam gigantes, nas agências da Caixa Econômica Federal,  e nos correspondentes bancários. O principal motivo é o Auxílio Emergencial de R$ 600, pago pelo Governo Federal para ajudar durante a crise gerada pelo novo coronavírus. As pessoa seguem com  dúvidas em relação ao cadastro, formas e datas de pagamento.


Mesmo com as recomendações de isolamento social para evitar a propagação do novo coronavírus, filas em correspondentes bancários na cidade de Piancó e na agência da Caixa Econômica Federal em Itaporanga, se tornaram corriqueiras durante a pandemia. Na manhã desta sexta-feira (24),  a movimentação continua maior. O motivo seria a dificuldade que as pessoas têm para  recebimento do auxílio emergencial de R$ 600. As pessoas precisam, nos correspondentes bancários, aguardar do lado de fora dos locais, para quando junta alguns valores, poder receber seu auxílio emergencial ou bolsa família.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou que mais de 40 milhões de pessoas se cadastraram para receber o benefício, mas o Dataprev informou os dados de 13 milhões. Segundo Guimarães, quem foi aprovado e não recebeu a primeira parcela poderá receber duas de uma só vez.


oblogdepianco.com.br