segunda-feira, 30 de março de 2020

Sebrae orienta empresários sobre vendas na Páscoa durante isolamento social

Com a pandemia e a crise econômica provocadas pelo coronavírus, a proximidade da Páscoa ainda não foi assimilada pela maioria dos consumidores brasileiros. Considerado o melhor momento de vendas para empreendedores que trabalham com doces em geral, especialmente produtos à base de chocolate, o período se transformou, este ano, em um grande desafio para o mercado.

Antes da crise, pesquisas do segmento indicavam que os empresários esperavam um crescimento entre 5% e 10% nas vendas deste ano, números que agora dão lugar a necessidade de criação de novas ideias e soluções que possam reduzir o impacto provocado pelo isolamento social e a consequente redução da mobilidade dos clientes.

Para auxiliar os empreendedores nesse momento de crise, o Sebrae Paraíba preparou algumas dicas e sugestões que podem contribuir com o planejamento, as vendas e, também, para evitar perdas durante o período. De acordo com a analista técnica da instituição, Germana Espínola, os empresários podem investir em produtos, sabores e formatos diferentes para atrair o consumidor.

“Nesse momento, é importante utilizar as mídias sociais para apresentar os seus produtos, cardápios e preços, levando-os de forma segura para os clientes”, explicou Germana, ao destacar que também é importante oferecer aos clientes meios de pagamento viáveis para esse período de crise e isolamento.

Além disso, a analista do Sebrae Paraíba também pontuou a necessidade de planejamento por parte do empreendedor, para evitar perdas e o acúmulo de estoque. “A vantagem de trabalhar com chocolate é que se trata de um produto que dá para se vender em todo o período do ano, diferente de alguns setores e segmentos. De toda forma, é importante fazer um planejamento de vendas para que não fique com um grande estoque parado”, explicou.
Repensando o modelo de negócio

Se a empresa trabalha com um ponto fixo, a alternativa para driblar a falta dos clientes é investir imediatamente nas mídias sociais, nas plataformas de comércio eletrônico e nos aplicativos de entrega. Comunique ao cliente (o que muitas vezes acontece por aplicativos de comunicação e redes sociais) que seu negócio está adotando todas as medidas cabíveis que prezam pela segurança e qualidade do seu produto. Atente-se para que todos os seus fornecedores e prestadores de serviço (como entregadores) também tenham todo o cuidado necessário com o coronavírus.

Cuidados financeiros
O momento pede que empreendedores revejam seus gastos e cuidem do controle do fluxo de caixa. Repense expectativas de vendas, evitando compras desnecessárias, inclusive para o período da Páscoa. Se trabalha com encomenda, peça mais prazo de produção para seu cliente. Se tem contas em aberto com fornecedores, renegocie prazos de pagamentos. Se necessário, reduza sua oferta (mix) de produtos, trabalhando apenas com aqueles que garantem boa margem de lucro, priorizando liquidar o estoque acumulado e não fazer compras arriscadas.

Oportunidades para confeitarias
Para a confeitaria, o momento é mais propício para produtos que sejam protegidos (embalados individualmente). Alimentos a serem compartilhados (como bolos de corte) são um possível foco de contaminação no momento do cliente compartilhá-los com seus amigos e familiares. Além disso, o adiamento de diversos eventos e confraternização limitarão essas demandas. A confeitaria apresenta muitos produtos de tamanhos menores, e apostar nessas opções, embalando-as individualmente, é uma oportunidade. Nessa linha de produtos, entram os brownies, cupcakes, pão de mel, docinhos, bolo no pote, dentre outros.

Cuidados com a saúde
Esteja atento à sua saúde e das pessoas ao seu redor, seja sua família, fornecedores ou clientes. Respeite as distâncias e oriente a todos sobre as cautelas necessárias. Muitas confeitarias são formadas por empreendedores que trabalham sozinhos, ou que contam com poucos auxiliares. É fundamental que você ou seu colaborador se afaste totalmente da produção caso haja suspeita da doença ou de contato com doentes, ainda que a princípio pareça um leve resfriado. Monitore a temperatura corporal e esteja atento a tosses e falta de ar. 

Informações do Portal Correio