quarta-feira, 28 de julho de 2021

O AVISO PRÉVIO… E o duro recado de Paulino a Veneziano: Se romper com João e lançar candidatura, ele pode até deixar MDB


O recente episódio envolvendo conversações entre o senador Veneziano Vital do Rego e o ex-senador Cássio Cunha Lima produziu vários efeitos., em meio às especulações de uma suposta aliança entre os dois adversários históricos visando as eleições de 2022.

Entretanto, meu caro Paiakan, a despeito das duras declarações do deputado Tião Gomes contra Veneziano, a manifestação mais emblemática foi proferida pelo ex-governador e atual secretário Roberto Paulino (Chefe do Governo). Paulino, inclusive, rompeu com o seu habitual estilo tranquilo e foi incisivo.

Na condição de vice-presidente estadual do MDB e um dos militantes mais fiéis do partido, Paulino, não apenas reafirmou sua aliança com o governador João Azevedo, como ainda deu o recado mais duro: se Veneziano insistir em se aliar a Cássio e lançar candidatura ao governo, ele (Paulino) deve deixar o MDB.

Estranhamento – Paulino chegou a estranhar que, de acordo com a mídia, o vereador Mikika Leitão, presidente municipal do MDB, tenha defendido a candidatura de Veneziano em aliança com Cássio, durante reunião do partido, em João Pessoa.

Paulino revelou ter participado da reunião, mas desconhece o episódio: “Tive que me ausentar porque eu fui representar o governador na solenidade de aniversário de morte de João Pessoa. E realmente, quando eu estava lá, não teve essa conversa. A conversa foi outra, tinha outros assuntos. Eu fui surpreendido depois com tudo isso.”

E ainda: “Uma coisa na minha vida que sei ser é grato e leal, e hoje nesse mundo atual é defeito, mas eu sou assim e quero morrer assim. Então João (Azevedo) me convidou, e se, amanhã, o partido decidir que deve romper e tudo isso, eu vou até avaliar se devo sair ou não do MDB. Aí eu vou avaliar.”

E arrematou de forma sintomática: “O MDB da Paraíba tem a cara de Roberto Paulino e nossos companheiros na base na sua maioria querem essa aliança e Vené sabe disso.”

Cássio – Quanto ao ex-senador e ex-governador, Paulino ironizou: “O problema é Cássio. Cássio está procurando criar um impasse. Eu creio que isso aí é uma estratégia, é um marketing de Cássio Cunha Lima. Cassio é um cara inteligente, e está um pouco calado, até um pouco esquecido pelas lideranças do PSDB.”

Por fim: “Então como é que se pode falar numa aliança, excluindo o nome que tem voto em Campina Grande, que é o ex-prefeito Romero Rodrigues? Então ninguém quer Romero? Isso não vai existir. Cássio habilidoso e versátil que é, estava meio esquecido, o protagonista era Romero, e Cássio, que foi o idealizador de tudo isso, quis marcar território, dando a entender hoje que para Romero ser candidato, vai depender de Cássio, e é o contrário, Cássio que vai depender muito de Romero.” As declarações foram dadas à rádio Correio FM.

Resumo da ópera – Horas após as declarações de Paulino, o senador Veneziano reafirmou as conversas com Cássio, mas negou ter tratado de questões relativas às eleições do próximo ano. Atribuiu as turbulências, como de hábito, meu caro Paiakan, às especulações da Imprensa. É questionável se colou.