terça-feira, 15 de junho de 2021

Gás de cozinha fica mais caro na Paraíba; reajuste chega a 5,9%

(Imagem meramente ilustrativa/reprodução)
N
a segunda-feira (14) um novo reajuste passou a valer para o gás de cozinha. 5,9% é o reajuste no Gás liquefeito de Petróleo (GLP). Segundo o presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás GLP da Paraíba, Marco Antonio Bezerra, "o repasse para o consumidor final será de R$ 5 a 6 reais". O botijão de gás que estava em torno dos R$ 85,00 passa a valer a partir de agora, R$ 90 a 100 reais.

O aumento para o consumidor final acontece, devido o aumento dos impostos e da margem repassada para as distribuidoras, além da elevação do preço divulgado pela Petrobras.

A Petrobras determina o preço do gás de cozinha?
Não. O GLP vendido para as distribuidoras nas refinarias da Petrobras representa menos da metade do preço do botijão de 13 kg cobrado do consumidor. No ano passado, foi, em média, 39%. O restante corresponde a impostos estaduais e federais, custos e remuneração de distribuidoras e revendedores.

A Petrobras não poderia baixar o preço do gás de cozinha?
Não. O GLP, assim como os outros combustíveis, é uma commodity*, que tem seus preços determinados no mercado global pelos movimentos de oferta e demanda. O Brasil é importador de parcela importante do GLP aqui consumido. Se a Petrobras reduzir o preço abaixo das cotações internacionais, ficaria diante de duas opções: deixar o mercado desabastecido ou importar a preço mais alto e vender a preço mais baixo.

*Commodities são produtos de origem agropecuária ou de extração mineral, em estado bruto ou pequeno grau de industrialização, produzidos em larga escala e destinados ao comércio externo.

oblogdepianco.com.br