quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Em Piancó, Médico da linha de frente contra a Covid é o primeiro a tomar a vacina dando início a campanha na cidade

O médico José Carlos Soares (Dr. Carlinhos) de 55 anos, foi o primeiro a tomar a vacina CoronaVac contra a Covid-19, na cidade de Piancó, na  quarta-feira (20), às 18:00h. A ação foi na sede do SAMU, e dá início a campanha  de vacinação contra o novo coronavírus no município piancoense. Em seguida foram vacinados os profissionais da linha de frente que prestam serviços no SAMU regional. O sentimento de quem recebe a vacina CoronaVac é de esperança e de otimismo.

A primeira fase o Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19, foi lançado na segunda-feira (18),  em diversos municípios do Brasil. 

O Município de Piancó recebeu 271 doses para ser aplicadas nos profissionais da saúde. A quota liberada equivale a 34% da quantidade total dos profissionais, que são 743 no Município.

Segundo informou o secretário de saúde Antonio Leite Neto, "Inicialmente serão vacinados médicos, enfermeiros e técnicos do SAMU, UPA, Hospital Regional e Hospital Covid, além da Equipe do Melhor em Casa que atua no Covid".

"Tão logo seja disponibilizada para os demais grupos, daremos publicidade", disse o secretário.

Dr. Carlinhos Soares foi o primeiro vacinado e no momento da vacina, foi lembrado que ele quase perdeu a vida para a Covid-19, há bem pouco tempo.

MonitoraCovid-1

O Comitê Interno de Monitoramento de Produtos Pós-Autorização para a Covid-19, formado por servidores de áreas técnicas estratégicas da Agência,  fará o acompanhamento dos dados de farmacovigilância, das vacinas. O objetivo  é identificar e facilitar o monitoramento dos eventos adversos, de forma a obter e dar respostas rápidas para aumentar a segurança da população.

Outro ponto a ser destacado é a integração dos sistemas VigiMed e e-SUS Notifica, que irá conferir maior robustez às análises de segurança e eficácia, bem como agilidade no envio das informações do monitoramento brasileiro à Organização Mundial da Saúde (OMS).

Vale lembrar que a Anvisa estabeleceu uma articulação estratégica com o Programa Nacional de Imunizações (PNI) para a vigilância epidemiológica e sanitária dos eventos adversos pós-vacinação. Isso inclui ações para o monitoramento dos vacinados, processos de investigação epidemiológica, avaliação dos casos e classificação de causalidade, por exemplo. Em outras palavras, as ações do PNI representam um braço importante para as ações de farmacovigilância das vacinas no setor público. (pfarma)

oblogdepianco.com.br