quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Cresce acidentes com motos em Piancó

(Imagem meramente ilustrativa/reprodução)
Nos últimos meses a sociedade piancoense tem se deparado com o crescente número de acidentes com motocicletas nas ruas da cidade. Quando em 2019 a Polícia Militar intensificou as rondas com blitzes por toda a zona urbana, esse índice havia despencado. No início de janeiro de 2020 aumentou os acidentes envolvendo motociclistas. Só para ser ter uma idéia, no último fim de semana (entre os dias 06 e 11/02) ocorreram quatro acidentes na zona urbana da cidade, sem vitíma fatal, mas com escoriações graves. A nossa redação não conseguiu informações oficiais sobre os acidentes ocorridos envolvendo motos, registrados pelos órgãos competentes (PM, SAMU e Hospital). A população defende a urgência na execução dos trabalhos do órgão municipal de trânsito, já instituído por lei na cidade de Piancó.

São muitos os fatores que podem explicar o rápido crescimento dos acidentes e até mortes de motociclistas, mas todos os estudos recentes apontam que as causas principais são procedimentos de risco dos próprios condutores, como andar sem habilitação e também o consumo de álcool. Se o risco de morrer em uma colisão de automóvel já é significativo, a depender das circunstâncias do acidente, sobre uma motocicleta essas chances são 20 vezes maiores. Esse número sobe para 60 vezes se a pessoa não estiver usando o capacete, item obrigatório pela ­legislação. Ao contrário do que se imagina, as categorias que usam a moto como fonte de renda (motofretistas, motoboys e mototaxistas) não estão entre as principais vítimas.

Diminuir o gigantesco número de mortes no trânsito brasileiro é um dos desafios de todos os gestores públicos. Segundo dados do Ministério da Saúde, 37 mil pessoas morreram nas ruas e estradas do país em 2016. O número equivale a uma morte a cada 12 minutos ou à queda de um jato lotado a cada dois dias.

oblogdepianco.com.br