terça-feira, 24 de setembro de 2019

Governo corta recursos e Piancó não realizará a Campanha Anti-Rábica esse ano

A Vigilância Ambiental de Zoonoses da Secretaria de Saúde de Piancó não irá realizar a Campanha Municipal de Vacinação Anti-Rábica. Pela primeira vez na gestão do prefeito Daniel Galdino (PSD), essa campanha não ocorrerá, graças a um corte orçamentário promovido pelo governo de Jair Bolsonaro que tira cerca de R$500 milhões de vacinas do Sistema Único de Saúde (SUS). Essa situação é uma consequência concreta da aplicação da Emenda Constitucional 95 que congela os gastos públicos por 20 anos. O desabastecimento das vacinas e a descontinuidade da Campanha Anti-Rábica é um retrocesso profundo na prevenção a Raiva Animal em Piancó e um grave perigo para a população. Essa situação ocorre em vários municípios do Vale e da Paraíba.

Como a raiva é uma doença infecciosa, que afeta também outros animais, como bovinos, ovinos, caprinos, além de porcos, os especialistas recomendam cuidado com o ciclo aéreo da transmissão, protagonizada pelos morcegos, responsáveis por perpetuar a circulação do vírus.

Diante disso, o prefeito Daniel Galdino e o secretário de Saúde, Antono Leite, estão buscando encontrar uma solução para realizar a campanha Anti-Rábica esse ano, mesmo que em pequena escala, se é que seja possível.

A Vigilância Ambiental de Zoonoses de Piancó avisa que, em caso de suspeita da doença, é importante deixar o animal em observação durante dez dias, em local seguro, para que ele não fuja nem ataque pessoas ou outros animais. Deve receber água e comida normalmente.


oblogdepianco.com.br