segunda-feira, 9 de setembro de 2019

CPI das fake news convoca Google, WhatsApp e Telegram para votações nesta terça


(Pillar Pedreira/Agência Senado)
A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPI) das fake news vota, nesta terça-feira (10), os primeiros requerimentos. Representantes legais de empresas responsáveis por redes sociais, como WhatsApp, Twitter e Telegram foram convocados para participar. Além disso, responsáveis pelo site The Intercept Brasil também foram chamados para prestar esclarecimentos.

A Comissão foi instalada na semana passada e pretende investigar, entre outros pontos, a disseminação de notícias falsas nas últimas eleições. A prática de ciberbullying contra autoridades e cidadãos vulneráveis também será examinada pelo colegiado. A criação da comissão abriu um debate sobre os limites da liberdade de expressão na internet e nas redes sociais.

O advogado Luiz Augusto Filizzola D´Urso, especialista em cibercrimes, ressalta que a CPI é um importante passo para combater as fake news.”De maneira alguma podemos cercear a liberdade de expressão dos indivíduos que utilizam a internet. Todo mundo tem direito a dar a sua opinião, mas não tem o direito de difundir mentiras sobre quem quer que seja.”

O grupo composto por 15 senadores e 15 deputados é presido pelo senador Ângelo Coronel (PSD-BA). A relatora é a deputada Lídice da Mata, também do PSD da Bahia. A CPI mista terá 180 dias para as investigações.

*Com informações da repórter Natacha Mazzaro