quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Em Itaporanga (PB); Vereador Duvan atende apelo da Família Pereira e com oito mandatos, coloca nome à disposição para chapa majoritária na sucessão de 2020

Fato novo promete mexer o tabuleiro da política de Itaporanga, a partir de agora. Em contato com o blog, na noite desta terça-feira (06/08), o vereador e decano do Parlamento-Mirim local Duvan Pereira (PSB), mais votado (com 745 votos) nas eleições de 2016, aceitou a convocação da Família Pereira e decidiu colocar seu nome à disposição pra figurar numa chapa majoritária visando a sucessão municipal do ano que vem.
Duvan é um dos mais acessíveis e prestativos homens públicos que o município tem. Conhecido como 'Vereador do Povo' por sempre estar (aliás toda família) à disposição do povo quando solicitado o que lhe rende o título de campeão de votos e mandatos, atualmente. 

O vereador surge consensual para representar em chapa majoritária, na condição de candidato à vice-prefeito. Uma pista dessa pretensão se deu nesse fim de semana recém-findo, num churrasco (foto), onde estiveram reunidos o prefeito Divaldo (sem partido), o ex-prefeito Berguim (PSB) e vereadores: Neném de Adailton, Hélio do Bar, Judivan Custódio e o próprio Duvan. 
A disposição de Duvan para 2020 deve ser levada em conta porque mexe fortemente nas negociações para formação de chapas, em particular, na base de situação. Pode ser por uma outra alternativa? Um enigma já que em se tratando de política pode acontecer de tudo.

Duvan tem oito mandatos consecutivos: 1988-1992; 1993-1996; 1997 - 2000; 2001-2004; 2005-2008; 2009-2012; 2013-2016; 2017-2020. Na conta de mandatos, o  exercido pelo filho (Nel, 2012-2016) que foi candidato num momento em que Duvan estava adoentado. 

Além de que a família sempre teve em torno de três representantes na câmara. Ao todo, foram treze pessoas da família que já tiveram alguma passagem pela câmara. No último pleito (2016) teve quatro eleitos para a atual legislatura: o próprio Duvan, Judiva Custódio (cunhado), Márcio Rodão (primo) e João Guimarães (sobrinho), o que representa 36,3% da Casa. Juntos, os quatro tiveram 2.200 votos. Algo nada dispensável.

Com Ricardo Pereira