quarta-feira, 31 de julho de 2019

Piancó precisa de projeto para preservar as Capelas Rurais

Capela na BR-426 entre Piancó e Coremas (Comunidade Tatu)

Quebrar a barreira do tempo ao manter a história viva, para ser passada para as próximas gerações. Esse deve ser um dos objetivos de uma cidade que tem preocupação com a cultura. Elaborar um projeto, denominado "Projeto Capelas Rurais", para ser desenvolvido pelo Município, pode ser o princípio de um resgate que, se não for observado nesse momento, será muito tarde para contar as gerações futuras, sobre a bela história das Capelas Rurais. Na cidade, a Igreja Católica busca inserir a comunidade na vida religiosa, erguendo capelas em todos os bairros. Nesse caso específico sobre o Projeto Capelas Rurais, seria o resgate das capelas na zona rural, muitas delas históricas, e em ruinas, a exemplo da Capela na Comunidade Tatu, as margens da BR-426 que interliga Piancó à Coremas, no Vale do Piancó. 
Capela na Comunidade Pocinhos

Utilizando acervos históricos, análises arquitetônicas e depoimentos de pessoas, esse projeto pode trabalhar para levantar dados da cultura rural e para preservar capelas centenárias da região, valorizando a cultura, o folclore regional e os costumes da comunidade.

Essa ideia do "Projeto Capelas Rurais" surge da necessidade de mergulhar na realidade regional e, dentro da religiosidade popular que será estudada, perceberá a existência de capelas históricas. 

A UNITAU (Universidade de Taubaté) desenvolveu projeto dessa natureza, onde diz que é preciso "Preservar a Cultura de uma Comunidade para Manter sua História Viva". Vitor Garcez (ACOM/UNITAU) disserta bem sobre esse tema em uma das suas postagens na página oficial da UNITAU. Seguindo esse exemplo, reacende a ideia de se fazer algo semelhante em Piancó, para se Preservar nossa Cultura e Manter a História Viva!


Antonio Cabral (DRT-PB 3085) com Vítor Garcez (Unitau)