domingo, 2 de junho de 2019

Dinheiro que foi roubado é público, mas depoimento de Palocci na CPI será secreto

No País onde investigados podem não responder a questões incômodas em comissões de inquérito, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou sessão secreta da CPI do BNDES, nesta quarta (29), para ouvir o ex-ministro Antonio Palocci. Continuará na mais absoluta ignorância o pagador de impostos cujo dinheiro foi roubado nos governos do PT para financiar a Odebrecht et caterva mundo afora. A informação está na coluna do jornalista Cláudio Humberto, no Diário do Poder.

O STF alega, para decretar sigilo do depoimento, a preservação do acordo delação do corrupto confesso que foi ministro de Lula e Dilma.

Já se conhece quase tudo dos três acordos de delação de Palocci com a PF e o MPF, o que torna o depoimento sigiloso ainda mais intrigante.

Os detalhes revelados por Palocci sobre o papel de Lula na ladroagem não devem ajudar no relaxamento da prisão do ilustre presidiário.

A deputada Paula Belmonte (Cida-DF), que requereu a convocação de Palocci para depor, queria sessão aberta da CPI do BNDES.