segunda-feira, 20 de maio de 2019

Com Bolsonaro Presidente, Globo vive tempo de terror e perde liderança para o SBT

Desde que Jair Bolsonaro se tornou presidente, a Globo vem passando por um tempo de terror. Quase sempre hostilizada pelos seguidores do político, a emissora carioca agora vê algumas de suas principais atrações perderem a hegemonia, deixando a tão habitual liderança de lado.

No último domingo, 05 de maio, por exemplo, Silvio Santos teve a melhor audiência do ano ao receber o próprio Bolsonaro em seu palco. O chefe de estado do país conversou com o Homem do Baú sobre a reforma da previdência. A participação de Jair fez a audiência do SBT disparar, sendo uma das melhores nos últimos anos.

Já na noite desta quinta-feira, 9 de maio, a Globo viu que não obtém mais a liderança tão facilmente. Por mais de quatro horas seguidas, o canal carioca ficou na segunda colocação de audiência. Diversas atrações perderam espaço para os programas do SBT. Na Globo, perder o primeiro lugar seria visto como inaceitável, porém isso já virou algo comum na grade notura/madruga do canal.

Jornal da Globo (8,4), Conversa Com Bial (5,9), Lista Negra (5,2) e Corujão – com o filme Guerra ao Tráfico (3,9), perderam para A Praça É Nossa (10,6), The Noite (6,7), reprise do Roda a Roda (5,4), Operação Mesquita (4,9) e SBT Notícias. (4,3). A emissora só voltou à liderança com a exibição do Hora 1, às 4h da madrugada.

Voltando ao fator Bolsonaro, recentemente Luciano Huck virou o mais novo alvo dos eleitores mais fiéis de Jair Bolsonaro. No início do mês passado, o apresentador criticou o governo ao palestrar na Brazil Conference, em Boston, nos Estados Unidos.

Huck, que para muitos em um futuro próximo poderá ser candidato à presidência, argumentou que todos precisam organizar as próprias ideias e não esperar um milagre. Desde então, ele tem sido alvo da patrulha de plantão.

“Não existe salvador da pátria. Precisamos organizar nossas ideias para colocar as melhores soluções em prática”, disse Huck. “Educação é a solução. É só colocar em prática. Infelizmente não é o que a gente está vendo do nosso ministro da Educação”, completou à época do então titular Ricardo Vélez.

O empresário Luciano Hang, dono da Havan, disse que Luciano era um esquerdista, dando a entender que não seria a primeira vez do comunicador criticando o governo. Quem também defendeu Bolsonaro foi o filho do presidente, Carlos Bolsonaro.

Nesta quinta, 09 de maio, Carlos compartilhou outra fake news em suas redes. Com a manchete “Bolsonaro descobre que Huck abocanhou 20 milhões do MEC. Comprou até jatinho”, colocou seus seguidores na cola do apresentador. E inundou a página do apresentador de críticas.

Fonte: TV Foco