quinta-feira, 30 de maio de 2019

Ambulantes protestam no Centro de João Pessoa e ato tem tumulto

Cerca de 100 pessoas participaram na manhã desta quarta-feira (29) de um protesto que interditou o Centro de João Pessoa para cobrar avanço na negociação da Prefeitura de João Pessoa com relação ao trabalho dos ambulantes. Por volta das 12h, houve confronto entre manifestantes e Polícia Militar e Guarda Municipal após integrantes do protesto não conseguiram audiência com representantes do executivo municipal. Um homem foi preso.

Os manifestantes interditaram o trânsito por volta das 10h30 no cruzamento da rua do entorno do Parque da Lagoa e seguiram em caminhada até a Praça Pedro Américo, em frente ao Paço Municipal. Por volta das 11h30, liberam o trânsito, mas ao perceberam que não iriam ser recebidos no prédio da prefeitura, os ambulantes voltaram a fechar o trânsito no cruzamento da Padre Azevedo com B. Rohan, em frente à Praça Pedro Américo.

Houve um princípio de tumulto, alguns manifestantes jogaram objetos contra as grades do Paço Municipal que estavam fechando os portões de entrada. A Polícia Militar, cujo comando fica justamente na Praça Pedro Américo, foi acionada para mediar a liberação do trânsito. Pouco depois houve o confronto dos manifestantes com as forças de segurança.

Os ambulantes se revoltaram ao afirmar que uma pessoa do movimento foi agredida por um guarda municipal. Os manifestantes atacaram um guarda municipal e um dos integrantes do protesto foi preso como suspeito da agressão. No meio do tumulto, um policial militar chegou a atirar para cima para dispersar os manifestantes.

Até as 12h, o protesto seguia no Centro de João Pessoa e as negociações com a Polícia Militar.

Um incêndio atingiu uma subestação da Companhia Energética de Brasília (CEB), na Asa Norte, e deixou 17.007 imóveis sem energia na manhã desta quarta-feira (29). A interrupção foi por volta das 9h e, segundo a CEB, não há previsão para retomada do serviço.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para conter as chamas. A fumaça podia ser vista de longe e ultrapassou a altura do Estádio Mané Garrincha. De acordo com os militares, não há feridos. O trabalho de resfriamento do local foi finalizado às 10h.

Transtornos
O Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e a Fundação Hemocentro de Brasília foram atingidos pela queda de energia. Em nota, a Secretaria de Saúde informou que todas as consultas ambulatoriais previstas para esta quarta foram suspensas.

A pasta indicou que os pacientes devem aguardar o contato dos servidores da unidade. Segundo a secretaria, o pronto-socorro, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o centro cirúrgico "estão em pleno funcionamento, com fornecimento de energia feita pelo gerador da unidade".


G1PB