quarta-feira, 1 de maio de 2019

1º de Maio em Piancó é marcado pelo silêncio dos órgãos de representação da classe

Comemorado no dia 1º de maio, o Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador é uma data usada para celebrar as conquistas dos trabalhadores ao longo da história. Em Piancó existe várias entidades representativas que dizem falar em nome do trabalhador. Nesse 1º de Maio as ruas da cidade piancoense amanheceram vazias, sem nenhum movimento da classe ou de quem os diz representar. De que vale ser sincalizado se na data que celebra do Dia do Trabalhador, o silêncio 'ecoa' como sinal de omissão? Talvez, diante da decisão do novo governo federal que dosse que as contribuições financeiras de trabalhadores para seus sindicatos não poderão mais ser descontadas diretamente dos salários e terão, a partir de agora, que ser pagas exclusivamente por boleto bancário. Essa nova regra está prevista em uma medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Diante dessa decisão, talvez os sindicatos que 'representam' os trabalhadores, não se sintam empolgados em comemorar essa data tão importante na hostória mundial.

A contribuição sindical já havia deixado de ser obrigatória na reforma trabalhista proposta pelo governo do ex-presidente Michel Temer e aprovada pelo Congresso em 2017. Desde então, os trabalhadores são obrigados a expressar a vontade de contribuir para seu sindicato, mas o desconto continuava sendo feito diretamente do salário pelas empresas, como antes da reforma.

No Dia do Trabalho, comemorado em 1º de maio, quase todo mundo está descansando porque é feriado. A folga hoje é para lembrar essa vitória e tem origem em um greve histórica, realizada em 1º de maio de 1886, nos Estados Unidos. Neste dia, em Chicago, mais de 1 milhão de trabalhadores saíram às ruas para protestar.

oblogdepianco.com.br