terça-feira, 30 de abril de 2019

Maduro bloqueia redes sociais para sufocar oposição na Venezuela; YouTube, Facebook e Instagram ficaram fora do ar durante discurso de Jaun Guaidó, líder da oposição

(FOTO: MIGUEL GUTIÉRREZ/EFE)
O presidente venezuelano Nicolás Maduro estaria bloqueando acesso às redes sociais no país. Um relatório da NetBlocks, organização não governamental que faz rastreia bloqueios à web, afirma que toda a internet chegou a ser interrompida na Venezuela em algum momento. Os bloqueios são breves, e parecem ser usadas especificamente para impedir que a população ouça as mensagens da oposição ao governo, o auto-declarado presidente interino Juan Guaidó.

De acordo com a NetBlocks, Periscope (uma rede social de transmissão de vídeos ao vivo), YouTube, Facebook e Instagram ficaram fora do ar entre 9h02 e 9h14 UTC (Tempo Universal Coordenado) na segunda-feira. O bloqueio aconteceu justamente quando Jaun Guaidó fez uma transmissão ao vivo em que chamou mais protestos contra Maduro.

O YouTube e o Periscope também foram bloqueados às 17h05 na terça-feira, momento em que uma aconteceu sessão da Assembleia Nacional presidida por Guaidó, que também seria transmitida via web. A NetBlocks afirma que toda a internet foi bloqueada em alguns momentos entre o sábado e o domingo.

O bloqueio à internet reduz drasticamente a capacidade de articulação de Guaidó. Isso porque o governo de Maduro controla a maior parte dos veículos de comunicação do país. As autoridades venezuelanas chegaram a invadir redações e confiscar equipamentos de repórteres durante os protestos, de acordo com um relatório da Repórteres sem Fronteiras.

Na última semana, Guaidó conseguiu o apoio de dezenas de milhares de venezuelanos. Estados Unidos, Canadá, Brasil, Argentina, Peru e outros países latino-americanos também anunciaram abertamente seu apoio a Guaidó. Alguns países europeus pedem que Maduro chame novas eleições, ou perderá legitimidade.

epocanegocios.globo.com