terça-feira, 2 de abril de 2019

Calvário: Ricardo moveu em média um processo por dia após a prisão de Livânia

No auge da Operação Calvário, deflagrada pelo Ministério Público nos estados do Rio de Janeiro e Paraíba, que identificou organização criminosa responsável por desvio de recursos da saúde pública, através de contratos com a Organização Social Cruz Vermelha e que culminou na prisão de toda a cúpula da organização, como também da ex-secretária de estado, Livânia Farias e o assessor Leandro Azevedo (já em liberdade monitorada), o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) moveu, em média, um processo por dia.

A nova onda de ações movidas por Ricardo Coutinho contra jornalistas e outras pessoas teve início em 18 de março, o primeiro dia último após a prisão de Livânia Farias, presa no sábado, 16 de março, ao desembarcar no Aeroporto Castro Pinto.

Foram acionados por Ricardo os jornalistas Pâmela Bório (ex-primeira-dama), Thiago Moraes (RádioBlog), Anderson Soares (Blog do Anderson Soares), Alan Kardec (Politika), além de advogada Laura Berquó, entre outros.