sábado, 16 de março de 2019

Tovar cobra de João Azevêdo exoneração de Livânia Farias do cargo de secretária da Administração

O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) cobrou no início da noite deste sábado (16), logo após a prisão de Livânia Farias dentro da Operação Calvário, a exoneração da gestora do cargo de secretária estadual da Administração. Segundo o deputado, o governador João Azevêdo (PSB) não tem mais motivos para manter Livânia no comando da pasta.

“O mais adequado seria o governador João Azevêdo ter demitido a secretária no início da Operação Calvário, mas não o fez. Agora, com sua prisão, fica insustentável a manutenção da mesma no cargo. Isso é grave, pois no comando da pasta da Administração, Livânia teria todo o acesso aos envolvidos e poderia prejudicar as investigações”, destacou o deputado.

Na cautelar, o desembargador Ricardo Vital de Almeida diz que: “o contexto fático em questão indica que os crimes narrados podem não ser fatos isolados na vida dos ora requeridos, uma vez que teriam se valido de uma organização criminosa para cometer crimes (corrupção e lavagem de capitais) contra a administração pública do Estado da Paraíba”.

O desembargador verificou ainda que “em razão do cargo ocupado por Livânia Farias, como secretária estadual de Administração, que há risco grave e concreto de que os nefastos crimes a ela imputados continuem a se perpetuar, acaso permaneça em liberdade. Está patente a necessidade de debelar a corrupção sistemática e a dimensão social do crime de lavagem de capitais, em que tem nefastos efeitos à sociedade”.

Na quinta-feira (14), Livânia e o marido, Elvis Rodrigues Farias, foram alvos da terceira fase da Operação Calvário. Nessa mesma data já havia sido decretada a prisão da gestora, porém ela estava viajando com a família e, por este motivo, a decisão foi mantida em sigilo. Autoridades cumpriram mandados de busca e apreensão em um endereço do casal na capital paraibana. O vereador Carlos Pereira Leite Júnior (Kolorau Júnior), do município de Sousa, no Sertão, também é investigado.

Assessoria de Imprensa