sexta-feira, 29 de março de 2019

Sem andar, gigante Ninão clama por ajuda: “Precisamos até de comida”

Foto: Ninão
Joelison Fernandes ficou 3 meses internado em hospital de Campina Grande e passou por duas cirurgias no pé. Ele recebeu alta há 15 dias, mas vai ficar oito meses sem andar


Ele recebeu alta do Hospital Universitário de Campina Grande há 15 dias. Mas para quem pensa que a vida de Joelison Fernandes, o Ninão, iria melhorar, se enganou. O gigante agora está em casa, na cidade de Assunção, na Paraíba, mas não pode andar por, no mínimo, oito meses. “Está muito complicado. Estou vivendo da ajuda dos vizinhos e amigos. Preciso até de comida, pois não tenho uma fonte de renda e não tenho como trabalhar. Peço ajuda, por favor. De qualquer tipo. Estamos necessitando”, comentou Ninão.

Joelison passou por duas cirurgias no pé direito para retirar fragmentos ósseos que não estavam mais servindo para o seu corpo. Por causa do seu tamanho, no hospital Ninão quebrou uma cadeira de rodas e sua cama tinha que ser improvisada. Cadeira de rodas, inclusive, que foi uma das dificuldades para ser encontrada para o homem de dois metros e 37 centímetros de altura.

A muleta foi outra dificuldade. Apareceu até quem pagasse, mas o impasse era o seu peso e tamanho. Não existia uma fábrica que produzisse o equipamento que fosse resistente para os 200 quilos dele. Por sorte, uma empresa de João Pessoa conseguiu o feito e ajudou Ninão, que agora está de volta para sua cidade, no Cariri Paraibano.

“Estou feliz de sair do hospital, mas continuo sem trabalhar. Não tenho rende alguma. Sou eu e minha esposa. Ela fica ao meu lado, me dando assistência. Mas como eu disse, não tenho dinheiro para nada. Peço a ajuda de vocês do OP9, que da última vez fizeram uma matéria mostrando minha situação e muita gente de bom coração ajudou”, implorou Joelison.

Ninão trabalhava fazendo propaganda. O paraibano de 35 anos de idade começou a fazer sucesso ao participar dos programas do Silvio Santos e Celso Portiolli, ambos no SBT. Ele já foi considerada a pessoa mais alta do Brasil em uma competição realizada pelo apresentador Portiolli.

Por causa da fama conquistada, ele aproveitou para se candidatar ao cargo de deputado federal pela Paraíba nas eleições de 2018, mas não conseguiu se eleger. Ele obteve 642 votos. O tamanho de Ninão é resultado de um tumor na hipófise, problema que foi corrigido em 2007 quando ele foi operado e parou de crescer.

No ano de 2016, Ninão voltou à mídia nacional após participar de uma quadrilha que quebrou o recorde de maior quadrilha junina do mundo, em Campina Grande. Na época, 746 pares foram formados e o recorde foi registrado pelo Rank Brasil, mesmo órgão que deu o título de homem mais alto do mundo ao gigante de Assunção no ano de 2014.

Por causa do seu tamanho, foi preciso juntar duas cama para acomodar Ninão no hospital. 

Com OP9