domingo, 10 de março de 2019

Blecaute deixa 11 estados da Venezuela sem luz; aliados de ditador falam em ‘sabotagem’ a usina

Um apagão elétrico deixou sem luz pelo menos 11 estados da Venezuela, além da região administrativa que engloba Caracas – a capital do país -, na última quinta-feira (07). O problema começou por volta das 17 horas no horário local (18:00h em Brasília).

Nas redes sociais, moradores dos estados de Carabobo, Miranda, Barquisimeto, Táchira, Cojedes, Mérida, Barinas, Vargas, Nova Esparta, Aragua e Zulia reclamavam do blecaute. Serviços de dados e voz de companhias telefônicas também foram afetados.

Em Caracas, o metrô parou de operar, obrigando passageiros a caminhar por longos trajetos. A Corporação Elétrica Nacional (Corpoelec) reagiu imediatamente e afirmou no Twitter que a geração de energia na hidrelétrica de Guri, a mais importante do país, foi sabotada.

“Isso é parte da guerra elétrica contra o Estado. Não permitiremos! Estamos trabalhando para restabelecer o serviço”, afirmou a estatal – cujos dirigentes são fiéis ao ditador Nicolás Maduro – na mensagem divulgada nas redes sociais.

O ministro de Energia Elétrica da Venezuela, Luis Motta Domínguez, reforçou em entrevista à emissora estatal VTV que o problema ocorreu devido a “sabotagem” e previu que as equipes da Corpoelec vão demorar três horas para resolver a questão.

Funcionários pró-Maduro geralmente atribuem os problemas de falta de energia à oposição. Entretanto, o país sofre com problemas de gerenciamento e manutenção. A falta de energia tem se tornado um problema recorrente na Venezuela.

No início de fevereiro, a ditadura de Maduro denunciou dois supostos ataques contra usinas hidrelétricas, deixando na ocasião parte dos estados de Miranda e Anzoátegui sem luz. Em janeiro, uma desas sabotagens teria terminado com pessoas feridas.

Apesar de Maduro afirmar que as sabotagens provocam os cortes de energia, a oposição e especialistas alegam que a má gestão e a falta de investimento são as verdadeiras causas da crise. O colapso do setor elétrico tem, inclusive, causado várias mortes, segundo anunciaram médicos do país, em decorrência da falta de energia em diversos hospitais.

*Com informações da EFE