sábado, 5 de janeiro de 2019

Secretário de Bolsonaro, pastor paraibano assegura direitos LGBTI: 'alarde foi desnecessário'

(Foto: Reprodução)
O procurador nacional da Fazenda e pastor da Fundação Cidade Viva, Sérgio Queiroz, foi apresentado como Secretário Nacional de Proteção Global na última quarta-feira (02) pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos Damares Alves.

A nomeação de um religioso incomodou setores da comunidade LGBTI, mas, em contato com o portal Paraiba.com.br, ele garantiu que os direitos da classe estão assegurados.

“Após a posse eu darei entrevistas e farei esclarecimentos, mas adianto que toda a estrutura herdada de proteção à comunidade LGBTI será mantida. As notícias não espelham a realidade, pois a mesma diretoria LGBTI foi mantida com os cargos outrora existentes. Toda a estrutura de proteção foi mantida como antes, o alarde foi totalmente desnecessário”, declarou.

Perguntado sobre as acusações de, por ser pastor evangélico, defender causas como a “cura gay”, Sérgio garantiu: “isso não é temática do ministério. O ministério combaterá a discriminação e a violência, essa é a pauta de direitos humanos”.

De acordo com o procurador, é o artigo 26 do decreto Nº 9.673, emitido no dia 02 de janeiro de 2019 pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), que assegura os direitos da comunidade:

“Art. 26. À Diretoria de Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais compete: I – coordenar as ações governamentais e as medidas referentes à promoção e defesa dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais – LGBT; e II – exercer a função de Secretaria-Executiva do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais”, diz o documento.


Yves Feitosa
paraiba.com.br

oblogdepianco.com.br