terça-feira, 4 de dezembro de 2018

71% dos brasileiros aprovam saída de cubanos do Mais Médicos, diz pesquisa

Levantamento do Paraná Pesquisas divulgado nesta 2ª feira (3.dez.2018) aponta que 70,8% dos brasileiros aprovam a saída dos médicos cubanos do programa Mais Médicos e do Brasil. Outros 24,8% desaprovam a medida tomada pelo Ministério da Saúde de Cuba no último mês. Entre os entrevistados, 4,3% não souberam ou não responderam a pesquisa.

A pesquisa on-line (íntegra) foi feita pela empresa Paraná Pesquisas. Foram ouvidos 2.138 eleitores de 23 a 26 de novembro de 2018 em em 172 municípios brasileiros, de 26 Estados e do Distrito Federal. A margem de erro é de 2,0 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%.

Além de a maioria aprovar a saída dos médicos, 63,6% dos entrevistados acham que as vagas serão preenchidas em sua totalidade e para 19,5% as vagas serão preenchidas parcialmente.

Apenas 13,3% acham que as vagas não vão ser preenchidas. Entre os entrevistados, 3,6% não souberam ou não responderam.

Cuba se retirou do programa por considerar os questionamentos sobre a capacitação dos médicos feitas pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), “depreciativos e ameaçadores”. O militar indicou que em seu governo os profissionais que atuam no Brasil deveriam passar por uma reavaliação de seus conhecimentos médicos.

Quanto à percepção sobre quem é o maior responsável sobre a medida, 54,7% considera que é o governo cubano; 27,6% acham que é o presidente Bolsonaro e 10,9% disseram ser o presidente Michel Temer (MDB).

Os médicos cubanos foram responsabilizados por 1,8% dos entrevistados e os médicos brasileiros por 1,6%. Não souberam responder 3,5% dos entrevistados.

A pesquisa também avaliou a percepção dos brasileiros sobre os médicos cubanos. A maioria (56,7%) acha que os brasileiros são mais preparados; 31,7% consideram que são igualmente preparados; e 6,8% pensam que os médicos de Cuba são menos preparados do que os médicos do Brasil.

Poder