sábado, 3 de novembro de 2018

Coluna: Clodoaldo Brasilino e as Histórias de Piancó

 por Clodoaldo Brasilino Filho*

No dia 05 de outubro de 1883, depois de longos padecimentos em consequência de uma congestão cerebral de que foi acometido em 05 de maio do corrente ano, faleceu na Vila de de Piancó, o Pe. Manuel da Conceição Carvalho Rosas, na idade de 70 anos. Era vigário Solano na freguesia de Santo António de Piancó e cavalheiro da Ordem de Cristo. Foi o primeiro vigário oficial da paróquia de Piancó. 

Nos primeiros anos de sua residência em nossa então Vila, dedicou-se com solicitude no exercício do ensino da língua latina, em que era perfeitamente versado, havendo sido seus alunos o ilustre Dr. João Leite Ferreira, de imorredora lembrança, o Pe. José Cherubino da Fonseca Diniz, ex-vigário de Piancó e outras ilustres personalidades. Favor das boas causas, nunca negou seus esforços em prol de Piancó. Por ocasião da guerra do Paraguai, reuniu voluntários que do termo de Piancó, seguiram para aquela memorável campanha. Amante de sua família, composta de pessoas pobres, ele gastou com ela grandes valores e sendo por 44 anos vigário de Piancó, morreu pobre. Caridoso ao extremo, a miséria e a necessidade sempre encontraram socorro em seus olhos as lágrimas, em suas mãos a esmola é em tudo sua caridade. Amante da liberdade, deixou livre a dois escravos que possuía. Era verdadeiro sacerdote. Natural do Recife, era filho do artista plástico Miguel Antonio de Deus. Foi sepultado na Igreja Matriz de Piancó no dia 06 de outubro de 1883.
____

Continue acompanhando essa Coluna que em muito será de grande valia para que todos possam entender um pouco das Histórias de Piancó, nesses seus 270 anos.

* Historiador/pesquisador

oblogdepianco.com.br