quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Clodoaldo Brasilino: PIANCÓ 270 ANOS - DÉCADA 1850

por Clodoaldo Brasilino Filho*

EM 11 DE FEVEREIRO DE 1850, A CÂMARA MUNICIPAL DE PIANCÓ, ENCAMINHA OFÍCIO AO PRESIDENTE DA PROVÍNCIA DA PARAÍBA, COMUNICANDO QUE ESTA CÂMARA NÃO PODE REALIZAR A TROCA DA CASA DE SESSÕES COM OUTRA OFERECIDA PELO VIGÁRIO DA FREGUESIA,TENDO EM VISTA NÃO HAVER CUMPRIDO O DISPOSTO DO ARTIGO 42 DA LEI DE PRIMEIRO DE OUTUBRO DE 1828.

EM 25 DE MARÇO DE 1850, O PRESIDENTE DA PROVÍNCIA DA PARAÍBA EMITE OFÍCIO À CAMARA MUNICIPAL DE PIANCÓ, INFORMANDO QUE A PROVÍNCIA NÃO PODE ARCAR COM AS DESPESAS DE PESSOAL E CONSERTO DA CASA DA MESMA CÂMARA, POR FALTA DE COTA NO ORÇAMENTO VIGENTE,MAS, QUE ESSE OBJETO SERÁ ENCAMINHADO A ASSEMBLEIA PROVINCIAL EM SUA PRÓXIMA REUNIÃO DO DIA PRIMEIRO DE DE ABRIL DO MESMO ANO.

EM 25 DE JANEIRO DE 1851, O PRESIDENTE DA PROVÍNCIA DA PARAÍBA EM CONFORMIDADE AO DECRETO 722 DE 25 DE OUTUBRO DE 1850,, RESOLVE NOMEAR PARA PRESIDENTE DO CONSELHO DE QUALIFICAÇÃO DA GUARDA NACIONAL DA VILA DE PIANCÓ, E FREGUESIA DO MESMO NOME, TENENTE CORONEL INOCÊNCIO LOPES.

EM 31 DE DEZEMBRO DE 1851, O MINISTÉRIO DA CORTE, ENVIA A PROVÍNCIA DA PARAÍBA DADOS ESTATÍSTICOS DAS SUAS VILAS E POVOAÇÕES. O MUNICÍPIO DE PIANCÓ TEM NESSE PERÍODO 7.894 HABITANTES LIVRES E 997 ESCRAVOS.

EM 29 DE JULHO DE 1851, O GOVERNO DA PROVÍNCIA DA PARAÍBA DIVULGA OS DADOS ESTATÍSTICOS DA IGREJA CATÓLICA DA VILA DE PIANCÓ, NO ANO DE 1850, ONDE PIANCÓ APARECE COM 73 CASAMENTOS,558 BATIZADOS E 111 ÓBITOS.
 
*Historiador/pesquisador 
 
oblogdepianco.com.br