segunda-feira, 5 de novembro de 2018

1/3 do novo Congresso Nacional responde ações na Justiça

(Foto: Montagem/Reprodução)
Levantamento feito pelo jornal O Estado de São Paulo mostra que um terço do Congresso Nacional eleito é acusado de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, assédio sexual e estelionato ou é réu em ações por improbidade administrativa com dano ao erário ou enriquecimento ilícito.

No total, são 160 deputados e 38 senadores. Os casos tramitam nos Tribunais de Justiça dos Estados, na Justiça Federal, no Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal.

Entre os alvos estão nomes como os atuais senadores e deputados eleitos Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Aécio Neves (PSDB-MG), ainda conforme o jornal.

Estadão