sábado, 22 de setembro de 2018

Sagres: João Azevedo mesmo exonerado seguiu recebendo da Cehap

Fonte: Helder Moura
A pergunta que se impõe é: pode o candidato João Azevedo seguir recebendo do governo do Estado, mesmo já não sendo mais secretário? Quem primeiro trouxe a revelação desse recebimento foi o ex-vereador Renato Martins. E com base em uma fonte que não merece contestação: o Sagres, do Tribunal de Contas do Estado. Foi onde Renato garimpou a informação.

Consta que, no mês de junho, por exemplo, João Azevedo recebeu vencimentos de R$ 1.879,20, na condição de presidente do Conselho Administrativo da Cehap (?), empresa velha conhecida de guerra. Então, a pergunta que se faz é: pode? Bem, em se tratando de governo Ricardo Coutinho pode muita coisa, como a Paraíba sabe bem. (Mais em https://goo.gl/8YZadv)

Supersalários – Pode e com força. Por, por exemplo, ainda na condição de secretário, João pode receber vencimentos acumulados que superaram R$ 44 mil. Senão vejamos: um “painel de acumulação de cargos” divulgado pelo TCE revelou Azevedo acumulava, em janeiro de 2017, seis vencimentos que, somados totalizaram R$ 44.794,10.

Segundo o Sagres, João recebeu como secretário de Infraestrutura (R$ 17.725,61), aposentado da Suplan, na condição de inativo (R$ 15.156,65), como conselheiro da Cagepa (R$ 2.169,06), como conselheiro das Docas (R$ 1.506,99), conselheiro da Cehap (R$ 939,60) e, finalmente, professor do IFPB (R$ 7.396,19).

Mas, nos meses seguintes, João Azevedo reduziu as acumulações de seis para “apenas” cinco, conforme o relatório do TCE. No mês de outubro de 2017, por exemplo, se mantém como secretário, aposentado da Suplan, conselheiro da Cagepa, conselheiro da Cehap e professor do IFPB. Mas, seus vencimentos, somados, em outubro (último mês apurado pelo TCE), estavam em R$ 45.045,14.