quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Gleisi contraria Haddad e defende indulto ao ex-presidente Lula

Em entrevista exclusiva aos repórteres do UOL Luiz Alberto Gomes e Nathan Lopes, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, disse não ver “problema nenhum” em uma eventual concessão de indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), tirando-o da prisão. O candidato do partido à Presidência da República, Fernando Haddad, disse antes que, caso eleito, não vai conceder o indulto. “Vamos respeitar a decisão do presidente. Se ele não quer, nós vamos aceitar. Mas não haveria problema nenhum em fazê-lo”, disse Gleisi, que vê Lula foi “alvo de perseguição”. “Por que o Lula está preso? Para não ser candidato a presidente, para não governar de novo esse país. É uma sacanagem isso”, afirmou.

Preocupados com a migração de intenções de voto da população de baixa renda para Jair Bolsonaro (PSL) na eleição presidencial, petistas do Rio pressionam para que a campanha de Haddad faça ataques ao candidato que lidera as pesquisas.

Reportagem da Folha revela um documento de 2011 do Itamaraty em que Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, disse que deixou o Brasil em 2009 porque foi ameaçada de morte por ele. Hoje, ela é candidata a deputada federal, diz apoiar a candidatura do ex-marido e afirma que considera o episódio “superado”.

No Rio de Janeiro, o general Walter Souza Braga Netto, interventor federal no estado, reagiu às críticas sobre a intervenção acusando de “desconhecimento ou má-fé” os que dizem que seus resultados foram pífios.

Em Nova York, Michel Temer fez seu último discurso na Assembleia-Geral da ONUcomo presidente do Brasil. “Dissemos não ao populismo e vencemos a pior recessão de nossa história. Restauramos a credibilidade da economia”, declarou Temer. Também em discurso na ONU, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que sua administração “fez mais do que quase todos os governos da história do país”. O discurso arrancou risos da plateia.

Uol