sábado, 1 de setembro de 2018

Em Patos, Hospital cumpre Lei que garante atendimento de morador de rua pelo SUS e acolhe paciente que já fez cirurgia

Está assegurado por lei o atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) de famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade ou risco social, mesmo que eles não apresentem comprovante de residência. A Lei 13.714, que proíbe expressamente a recusa de atendimento pelo SUS, nesses casos, foi publicada no Diário Oficial da União da última segunda-feira (27) e já foi colocada em prática na cidade de Patos, com o acolhimento de um paciente morador rua e de nome desconhecido, que foi internado nesta quinta-feira (30), no Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro (CHRDJC) e hoje fez uma cirurgia para retirada de tumor na região genital.

Diagnosticado com uma lesão grave no pênis, o morador de rua que não se sabe o nome ainda, pois encontra-se sem documentos e tem dificuldades para se comunicar, foi denominado ‘João de Deus’. Na manhã desta sexta-feira (31), o paciente foi examinado e medicado e devido à gravidade da lesão, o médico fez a indicação para uma cirurgia de urgência o que ocorreu no final da tarde desta sexta-feira.

Segundo boletim médico, o paciente ‘apresentou tumoração de pênis associado a quadro infeccioso grave com risco eminente. Sem conseguir diurese espontânea, ele foi submetido a cirurgia de urgência para retirar tumoração em genital e reestabelecimento da diurese por uretroplastia. No momento, o paciente encontra-se estável com melhora clínica e aguardando o resultado anatopatológico para dar continuidade ao tratamento’. O cirurgião e urologista Antônio Gomes Segundo Neto foi quem realizou o procedimento com acompanhamento do cirurgião, Bruno Nobre de Farias. O paciente encontra-se na DIC, uma enfermaria especial utilizada por pacientes com infecção.

O paciente, supostamente, também apresenta uma patologia psíquica, segundo terno de requerimento de internação compulsória do Ministério Público, acatada pelo Poder Judiciário. O termo solicita que o paciente seja avaliado por um psiquiatra. A direção do hospital já entrou em contato com a Secretaria de Saúde Municipal de Patos para solicitar a avaliação psiquiátrica do paciente, requerida pelo Ministério Público, o que deverá ocorrer na próxima terça-feira (04). “O paciente está tendo aqui todos os cuidados e assistência necessários para o reestabelecimento de sua saúde clínica, tanto que hoje mesmo ele já passou por esse procedimento cirúrgico”, destaca a diretora geral do Hospital de Patos, Liliane Sena.

Assessoria