terça-feira, 28 de agosto de 2018

PGR denuncia Jefferson, Cristiane Brasil e outros 24 por organização criminosa

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, denunciou 26 pessoas acusadas de irregularidades na concessão de registros sindicais pelo Ministério do Trabalho. Entre os denunciados estão o ex-deputado cassado Roberto Jefferson (PTB-RJ), os deputados Jovair Arantes (PTB-GO), Cristiane Brasil (PTB-RJ), Nelson Marquezelli (PTB-SP) e Paulo Pereira da Silva (SD-SP), além do ex-ministro Helton Yomura. Todos são acusados de integrar uma organização criminosa.

“Os elementos probatórios reunidos no inquérito indicaram que representantes das entidades sindicais ingressam no esquema criminoso em razão da burocracia existente na Secretaria de Relações do Trabalho, que dificulta –e muitas vezes impede– a obtenção de registro àqueles que se recusam a ofertar a contrapartida ilícita que lhes era exigida”, diz a procuradora-geral.

A denúncia foi encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF) e será relatada pelo ministro Edson Fachin. Raquel também pediu a abertura de novos inquéritos para apurar crimes de corrupção, tráfico de influência e lavagem de dinheiro.

Dois sobrinhos de Jovair também foram denunciados: Leonardo Arantes, ex-secretário-executivo do Ministério Trabalho, e Rogério Arantes, ex-diretor de Ordenamento de Estrutura Fundiária do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Eles estão presos preventivamente desde maio.

Em nota, a defesa de Jovair Arantes disse que o deputado recebe a notícia com "perplexidade" e que "não há que se falar em qualquer desvio que macule a sua reputação".

A defesa da deputada Cristiane Brasil diz que ela é acusada “a esmo” e tornou-se “uma franca atiradora contra reputações". Os advogados afirmam que ela provará sua inocência porque nada fez de errado. Os demais denunciados já negaram anteriormente envolvimento no esquema.

CongressoemFoco