sábado, 28 de julho de 2018

Seca já atinge mais de 70% do território paraibano

A seca já atinge mais de 70% da Paraíba, praticamente todo o estado. Dos 223 municípios, 160 apresentam seca moderada ou grave. Enquanto isso, apenas 63 cidades estão em uma condição de vegetação favorável, ou seja, não estão sofrendo com a estiagem. De acordo com o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, desde abril deste ano, 197 municípios da Paraíba são reconhecidos como em situação de emergência, por ocasião da situação de estiagem.

É o que mostra o atual mapa da cobertura vegetal do estado, obtido através de monitoramento por satélite, realizado pelo Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis), em parceira com o site www.letrasambientais.com.br.

De acordo com a atual imagem de satélite de cobertura vegetal, a maioria dos municípios do estado apresenta áreas em vermelho que indicam a ocorrência de seca grave, enquanto em amarelo, sinalizam para a condição de seca moderada. A estiagem ocorre, de forma mais grave, nas microrregiões do Cariri, Seridó e Catolé do Rocha.

Apenas em alguns municípios do leste do estado, incluindo a Zona da Mata e parte do Agreste, a vegetação está verde, ou seja, as condições climáticas continuam favoráveis e a seca ainda não atingiu a vegetação.

Paraíba é o terceiro mais seco do Nordeste
No período de 2013 a 2016, a Paraíba foi o terceiro estado do Nordeste a registrar maiores proporções de municípios atingidos pela seca (91,9%), ficando atrás somente do Ceará (97,8%) e do Piauí (93,8%). É o que mostra uma pesquisa divulgada no último dia 05 de julho, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sobre o Perfil dos Municípios Brasileiros (Munic).

O estudo também chamou atenção porque, durante o período, ocorreu algum evento de seca em praticamente metade dos 5.570 municípios do País (48,6%), totalizando 2.706 municípios a registrarem esses eventos climáticos. Apesar do dado alarmante, a maioria dos municípios afetados pela seca no Brasil (59,4%) não conta com um instrumento orientado à prevenção de desastres naturais e apenas 14,7% têm um plano específico de contingência e/ou de prevenção à seca.

A região Nordeste, conhecida pelas secas frequentes, intensas e com profundos impactos socioeconômicos, apresentou a maior proporção de municípios afetados pela seca (82,6%). Esses eventos climáticos muitas vezes tomam proporções de desastre natural, em função da gravidade dos impactos sociais, econômicos e ambientais.

oblogdepianco.com.br com fonte do PortalCorreio