quarta-feira, 4 de julho de 2018

Eva abre mão de espaço do PSD na majoritária e Ludgério dispara: “Partido faleceu junto com Rômulo”

O clima interno do PSD na Paraíba está tomando ares de guerra civil. A presidente estadual da sigla, Eva Gouveia (PSD), e o vice-presidente Manoel Ludgério (PSD) estão com discursos desencontrados e visões distintas com relação ao posicionamento do partido nas eleições deste ano. Nesta terça-feira (3) ambos reafirmaram o discurso destoante com relação ao futuro do partido. Enquanto Ludgério espera buscar um espaço em uma chapa majoritária, Eva já abriu mão da vaga.

Manoel Ludgério voltou a informar que vai se reunir com o presidente nacional de honra do PSD, o ministro Gilberto Kassab, quando deve pedir orientações sobre as movimentações no estado. Reafirmou também que o perfil da sigla é de oposição, e que o PSD tem musculatura político-eleitoral no estado – sinalizando que o partido não pode abrir mão de um espaço em uma chapa majoritária.

Ao partir para uma avaliação da condução de Eva Gouveia a frente do partido, Ludgério criticou – de forma elegante. “Se ela não tiver psicologicamente em condições de conduzir esse diálogo de formação de chapa, seja majoritária ou proporcional, então que ela delegue outro membro do partido. O partido não se resume a presidente Eva, o partido tem outros filiados, para fazer com que que o partido seja ouvido. Não podemos ir a reboque”, afirmou.

Endurecendo o discurso, Ludgério fez uma declaração forte sobre o atual estado do PSD na Paraíba. “O sentimento que temos aqui, é que com o falecimento do presidente Rômulo o partido parece que também faleceu na Paraíba. Com muita franqueza estou dizendo isso”, declarou.

O que diz Eva Gouveia
Eva Gouveia distanciou-se de polêmicas e preferiu dar espaço a Ludgério, mesmo após as fortes declarações. “Na realidade não há insatisfação do partido, Ludgério pode estar a vontade para ir a Brasília conversar com Kassab”, disse. Porém, reafirmou a posição do partido para as eleições de outubro. “O PSD continua apoiando o governador Luciano Cartaxo e doutora Micheline”, disse, trocando Lucélio Cartaxo, pré-candidato pelo PV ao Governo do Estado, por seu irmão, o prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo (PV).

E ao que parece, majoritária é um sonho que acabou para o PSD. Eva disse que não há mais condições do partido galgar este tipo de espaço numa chapa. “Não. Com a saída de Lira não tem como. Não vejo possibilidade”, avaliou.

Blog do Gordinho