domingo, 10 de junho de 2018

CENÁRIO INDEFINIDO - Disputa aberta ao Governo da Paraíba

Milton Figueiredo *

Temos acompanhado na Paraíba uma pré-campanha a governo do estado que envolve as três maiores candidaturas, cada uma com sua característica, que, ao meu ver, a preço de hoje, qualquer uma delas pode chegar à vitória. 

Ainda falta um bom tempo de campanha oficial até o dia da eleição. Mas, pelas afeições e as últimas consultas de números internos, segundo fontes dos próprios grupos políticos, vejamos:

JOSÉ MARANHÃO - MDB - o senador paraibano está sempre à frente nas consultas. Tem o maior recall, pois é o nome mais conhecido por ter sido governador por três vezes e é o líder político mais antigo na disputa. Pesa contra ele a questão da idade que gera uma rejeição dentro de determinado público. Algo que acho que, se for bem trabalhado, poderá ser relevado por boa parte do eleitorado, devido a marca que ZÉ tem de ter sido, NA MINHA VISÃO, um dos melhores governadores que a Paraíba já teve;

LUCÉLIO CARTAXO - PV - ex-superintendente da CBTU na Paraíba e ex-secretário de estado, o irmão do prefeito de João Pessoa tem aparecido em segundo nas consultas. Puxa automaticamente para si a imagem do legado e do trabalho, da gestão e dos projetos que Luciano Cartaxo implementou na capital paraibana e que lhe garantiu uma reeleição esmagadora ainda no 1º turno. Pesa contra Lucélio a questão de vinculação de imagem a uma candidatura que teria como característica um projeto familiar, mas que a gestão de Luciano, se conseguir a transferência do capital político, poderá fazer com que a largada de Lucélio seja muito vantajosa. Outra coisa que também pesa muito na candidatura do PV foi a escolha da sua vice anunciada recentemente. Dra. Micheline Rodrigues, atual primeira-dama e esposa do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues. Prefeito que tem as condições políticas muito parecidas com o prefeito de João Pessoa, com seus pontos fortes e fracos, e tem influência em muitas regiões do estado;

JOÃO AZEVEDO - PSB - ex-secretário de estado e município, além de funcionário público licenciado. Apesar de ser o nome defendido diuturnamente por um governador que tem uma boa gestão e aprovação e um grande legado de ações, em quase todas as áreas do estado, João ainda não conseguiu um bom posicionamento nas consultas e está sem grande expressão na pré-campanha. Pesa contra ele a rejeição acumulada de qualquer governo de praticamente 08 anos, que poderá ser revertido também facilmente com a grande campanha publicitária que tem pela frente, na qual poderá mostrar todos os dados e ações da gestão que teve participação direta. Outra coisa que poderá pesar muito na candidatura do PSB são as coligações partidárias que possam ser fechadas até a convenção.

O jogo está aberto e muita água ainda deve passar debaixo da ponte. Mas, como sempre, o que pode decidir na reta final o processo eleitoral na Paraíba, são as regiões mais carentes do estado que, muitas vezes, podem ser suscetíveis a troca de votos por bens ou favores pessoais. Além, claro, do velho voto de cabresto. 


*OPINIÃO - Jornalista MILTON FIGUEIREDO