quinta-feira, 3 de maio de 2018

Hoje é o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

Todos os anos, o dia 3 de maio é a data em que são celebrados os princípios fundamentais da liberdade de imprensa, para avaliá-la em todo o mundo, para defender a mídia de ataques contra a sua independência, e para prestar tributo aos jornalistas que perderam a vida no exercício de sua profissão. 

O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa foi proclamado pela Assembleia Geral da ONU, em 1993, em seguimento à Recomendação aprovada na 26ª sessão da Conferência Geral da UNESCO, em 1991. Isso, por sua vez, foi uma resposta ao apelo dos jornalistas africanos que, em 1991, elaboraram a Declaração de Windhoek sobre o pluralismo e a independência da mídia.

O Dia é uma ocasião para informar os cidadãos sobre as violações à liberdade de imprensa – um lembrete de que, em muitos países do mundo, as publicações são censuradas, multadas, suspensas e encerradas, da mesma forma que jornalistas, redatores e editores são perseguidos, atacados, detidos e até assassinados. 

É uma data para incentivar e desenvolver iniciativas em prol da liberdade de imprensa, assim como para avaliar a situação da liberdade de imprensa em todo o mundo.

O dia 3 de maio também serve para lembrar aos governos sobre a necessidade de respeitar seus compromissos com a liberdade de expressão. Além disso, é um dia para a reflexão entre os profissionais da mídia sobre questões relativas à liberdade de imprensa e à ética profissional. De igual importância, o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa é um dia de apoio a todos os tipos de mídia, que são alvos de restrição ou supressão da liberdade de imprensa. É também um dia para se lembrar dos jornalistas que perderam a vida na busca de uma história.


DIA MUNDIAL DA LIBERDADE DE IMPRENSA 2018
Em 2018, a UNESCO lidera a 25ª celebração do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. O evento principal, organizado em conjunto pela UNESCO o governo de Gana, acontece em Accra, Gana de 2 a 3 de maio. O tema deste ano é “De olho no poder: mídia, justiça e o Estado de direito”, que cobre questões de mídia e a transparência do processo político, a independência e a alfabetização midiática do sistema judiciário, e a responsabilização das instituições governamentais perante o público.

oblogdepianco.com.br com Unesco