terça-feira, 24 de abril de 2018

Sobe para 12 o número de açudes sangrando na Paraíba

As chuvas registradas nos últimos meses, sobretudo nas regiões do Sertão e do Cariri paraibano, estão modificando o cenário hídrico da Paraíba, que, nesta segunda-feira (23), está com 12 açudes sangrando. O último reservatório a transbordar no estado foi o açude de Pilões, localizado no município de São João do Rio do Peixe, no Sertão paraibano, de acordo com dados da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).

O manancial, que tem capacidade para armazenar 13 milhões de metros cúbicos de água, sangrou no domingo (22) e não transbordava há cerca de quatro anos. Nesta segunda-feira, o volume dele era de 13.029.278 de m³, o que corresponde a 100,23% da sua capacidade total.

Além do açude de São João do Rio do Peixe, estão sangrando na Paraíba os açudes de Araçagi (Araçagi), Carrapateira (Bom Jesus), Cachoeira dos Índios (Cachoeira da vaca), Itaporanga (Cachoeira dos Alves), Serra Grande (Cafundó), Mari (Olho d’Água), São José de Caiana (Pimenta), São José de Piranhas (São José I), Sapé (São Salvador), Taperoá (Manoel Marcionilo) e Diamante (Vazante).

No último dia 16, 11 açudes monitorados pela Aesa estavam transbordando na Paraíba. Apesar de a quantidade de reservatórios sangrando nesse período ser próxima do número atual, houve uma pequena modificação no cenário. É que no dia 16, o açude São José II, em Monteiro, estava sangrando e agora não está mais. No lugar dele, o reservatório que está transbordando é o açude de São Salvador, em Sapé.

De acordo com o presidente da Aesa, João Fernandes, isso se deve ao fato das chuvas estarem mais constantes em umas regiões do que em outras, o que modifica com mais facilidade o volume dos reservatórios.
Leia Também: Presidente da CUT-PB nega cobranças indevidas feitas por representante de federação

Segundo dados da Aesa, em uma semana, o número de reservatórios com capacidade superior a 20% do volume total subiu de 44 para 57, enquanto que a quantidade de açudes com menos de 20% caiu de 44 para 39. Com relação aos mananciais em observação, com menos de 5% da capacidade total, o número passou de 28 para 19 neste mesmo período.

Na avaliação do presidente da Aesa, a atual situação hídrica dos reservatórios do estado é menos preocupante do que a apresentada no início do ano, com a recarga dos açudes. “Iniciamos o ano com menos de 10% de armazenamento de água e hoje estamos quase 20% da capacidade armazenada”, pontuou.

oblogdepianco.com.br com PolêmicaPB