sexta-feira, 16 de março de 2018

Veto de Ricardo Coutinho ao queijo artesanal penaliza o pequeno produtor paraibano

O deputado Renato Gadelha (PSC) condenou o veto total por parte do Governador ao projeto do deputado Guilherme Almeida que regulamenta a produção de queijo artesanal na Paraíba. A propositura de Almeida garantiria aos produtores a possibilidade de comercializar os queijos fora da Paraíba.

Renato atacou as razões do veto apresentadas pelo Executivo. “Falam em preservar o interesse público. A regulamentação do queijo artesanal só traria benefícios ao estado e aos pequenos produtores, responsáveis pela grande maioria da produção”, observa Gadelha. Ele continua afirmando que “esta atitude do Governador penaliza o produtor familiar que mantém, a duras penas, um pequeno rebanho e com este veto fica com um mercado restrito”.

De acordo com o deputado, o texto do veto cita pontos que, na visão do Governador, contrariam leis federais. “Mais uma falácia. Fizeram o mesmo com um projeto meu que proibia apreensão de carro por atraso no IPVA e semana passada o TJ do Rio de Janeiro proibiu o estado de apreender veículos com IPVA em aberto, da mesma forma prevista no meu projeto”, lembrou o parlamentar.

Gadelha argumenta que “no caso de o projeto conter falhas, o caminho do Executivo deveria ser o de discutir de forma aberta e apresentar uma nova lei corrigindo os supostos problemas. Mas o Governador não está interessado em regulamentar o queijo artesanal. Prefere vetar projetos no atacado, com argumentos frágeis ou absolutamente vazios”.

O reconhecimento do queijo paraibano geraria desenvolvimento para o estado, renda para os produtores e empregos nas regiões produtoras, “mas o Governador vira as costas para tudo isso. A regularização do queijo da canastra em Minhas Gerais só trouxe benefícios ao estado e aos produtores. Podemos esperar o mesmo na Paraíba se o Governo tiver sensibilidade à causa”.

Renato garantiu que vai continuar lutando pelo reconhecimento do queijo artesanal paraibano. “Precisamos investir no que temos de melhor. A produção da Fazenda Carnaúba, em Taperoá, por exemplo, já venceu diversos prêmios nacionais de qualidade, mas Manelito Vilar e sua família, não podem comercializar o queijo por um capricho do Governador que não se sente à vontade em sancionar uma lei proposta por um deputado de oposição. Prefere penalizar quem produz”.

Gadelha finalizou informando que vai buscar os produtores e encontrar meios de regulamentar a produção. “Temos um queijo de ótima qualidade um enorme potencial de gerar emprego e renda. Não podemos abrir mão desta oportunidade”.

oblogdepianco.com.br com Paraiba Radio Blog