sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Prefeito de Lagoa Seca exonera todos os comissionados

O prefeito de Lagoa Seca, Fábio Ramalho (PSDB), foi mais um dos gestores da Paraíba, que decidiram cortar os comissionados da prefeitura. O tucano assinou a demissão de 133 detentores dos cargos comissionados. No decreto Fábio Justifica que o município enfrenta grave crise financeira em decorrência da redução dos recursos transferidos pelo governo federal.

A medida adotada é retroativa a 1º de janeiro de 2018, e também suspende a renovação dos contratos de 53 prestadores de serviços.

“A forte redução das receitas exige a adoção de medidas consideradas consistentes no sentido de reduzir as despesas públicas com o pagamento de pessoal e despesas correntes”, justificou Ramalho.

Além da queda nos recursos federais, o inchaço do quadro de comissionados também afetou as contas da prefeitura. A título de comparação, na gestão anterior, o município tinha 82 comissionados e no governo de Fábio Ramalho, este número subiu pra 133, o que representa um aumento de 62%, segundo o Sagres do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB).

Se somados, a mesma medida deixou pelo menos duas mil demissões a comissionados em municípios como Cajazeiras, Patos, Taperoá, Santa Rita, Conceição, Montadas, entre outros.

Em Campina Grande não houve corte de servidores, mas para equilibrar as contas o prefeito Romero reduziu os salário dos servidores, secretários e o próprio salário.


Paraíba Todo Dia