domingo, 10 de dezembro de 2017

Será que o eleitor do Vale do Piancó está satisfeito com os novos gestores eleitos para administrar sua cidade

Passado quase um ano das últimas eleições, em 2016, que elegeram prefeito, vice e vereadores, é possível avaliar se a gestão vai bem ou mal; o que precisa melhorar e se as promessas de campanha estão sendo cumpridas. A partir disso, surge o seguinte questionamento: Você se arrependeu do seu voto nas últimas eleições?

"Votei consciente e não tenho culpa nenhuma caso o prefeito se prejudique na condução de sua gestão. Quem vai sofrer não são apenas os que votaram a favor, mas todos os cidadãos. Seremos todos nós. Estamos dentro do mesmo barco e no mesmo processo político. Não ganhamos nada pensando em buscar um novo modelo gestor", disse um eleitor.

As pesquisas indicam que nossa memória é curta. Muitos têm dificuldade até para lembrar de aniversários, o dia de uma consulta ou até mesmo em que votou na última eleição. Isso vale para as eleições de nível estadual e federal, pois quando se trata de eleição municipal, é fácil lembrar em quem votou.

O prefeito da sua cidade está cumprindo com o que prometeu nas últimas eleições?
Mediar os conflitos e induzir o desenvolvimento equilibrado é, ou deveria ser, o papel do gestor público – do prefeito, do secretário, do administrador público. Sem abrir mão de sua posição política e seu matiz ideológico, o gestor público eleito e seus comandados tem obrigação de colocar suas propostas e seu programa de governo a serviço de toda a população. O gestor público não pode ser parcial, adotar para si o interesse apenas de uma parcela da população. Ou seja, um prefeito, um administrador, não pode ter “lado”, não pode estar no governo defendendo os interesses de um grupo específico, tem que governar para toda a população.

A pergunta que fica no ar, sem uma resposta da população eleitora é a seguinte: Será que o eleitor do Vale do Piancó está satisfeito com os novos gestores eleitos para administrar sua cidade?