quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Porque não investir em Hortas Comunitárias Urbanas

(Reprodução)
Havia em Piancó um projeto de Hortas Comunitárias, localizado em um espaço amplo nas imediações da parte alta da cidade, onde se localizam o Bairro Campo Novo, Conjuntos Jomar Mendonça (Projeto Mariz), Padre Luciano, Mutirão e Caixa Dágua. A horta era pra todos os que tivessem interesse em cultivar hortaliças para seu consumo ou até comerciá-los. O projeto era conhecido como Horta dos Franceses, já que, segundo informações à época, era um projeto idealizado por uma ONG Francesa com o apoio de outras entidades piancoenses. Até hoje não se sabe ao certo porque esse projeto foi interrompido.

Porque não investir em Hortas Comunitárias Urbanas
As Hortas Comunitárias se desenvolvem a partir da utilização de áreas públicas dentro da cidade fazendo o seu aproveitamento para a produção de alimentos, através do trabalho voluntário e solidário da comunidade monitorados por uma equipe de técnicos que utiliza o sistema de produção agroecológico.

Projetos de agricultura urbana recebem recursos para cultivo de hortas
O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), divulgou esse ano, o resultado do Edital nº 4 de Apoio a Projetos de Agricultura Urbana e Periurbana. As populações em vulnerabilidade social de 42 municípios brasileiros poderão cultivar hortas comunitárias, beneficiar produtos e até comercializá-los com o apoio do MDS, que irá investir R$ 11,1 milhões.

O MDS recebeu 107 inscrições e habilitou 42. A maior parte dos aceitos é do Nordeste (17). No Sul, dez projetos foram aprovados, oito do Sudeste, quatro no Centro-Oeste e três no Norte. 

Os projetos estimulam a produção orgânica em áreas ociosas de grandes cidades, com o plantio de hortaliças, ervas medicinais e aromáticas, plantas ornamentais, criação de pequenos animais e instalação de miniagroindústrias. A produção se destina ao autoconsumo das famílias, mas pode também abastecer Cozinhas Comunitárias e Restaurantes Populares. O excedente poderá ser comercializado em feiras populares.